21 de novembro de 2019

Paulo Antônio Pagni, o P.A, baterista do RPM, morre aos 61 anos

A informação foi publicada oficialmente no Facebook da banda.


Por Redação Educadora Publicado 22/06/2019

O baterista do RPM, Paulo Antônio Pagni, o P.A. morreu hoje após ficar mais de 20 dias em estado grave na UTI de um hospital de Salto, no interior do estado de São Paulo.

No texto, assinado pelos três integrantes remanescentes, Fernando Deluqui, Luiz Schiavon e Dioy Pallone, eles afirmam que P.A. “resolveu definitivamente descansar de sua brava luta pela vida (…) Fomos pegos de surpresa e tomados pela tristeza quando soubemos de sua partida há pouco”.

A banda está em Garopaba, em Santa Catarina, e informou que fará o show que eles têm marcado para esta noite para uma plateia estimada em 20 mil pessoas. “Por vários motivos e pela honra de nosso irmão, sempre apaixonado pelo seu trabalho e extremamente profissional”.

Ainda não há informações sobre o velório, mas o enterro deverá ocorrer em Araçariguama, no interior de São Paulo, junto aos seus pais.

No dia 2 de junho, um comunicado oficial feito pela banda por meio de sua página no Facebook informou erroneamente que P.A. havia morrido. A Educadora publicou essa informação. Horas depois, o guitarrista e vocalista Fernando Deluqui publicou um vídeo desmentindo a morte. Na ocasião, Deluqui explicou a confusão e disse ter recebido duas confirmações da morte de P.A.