25 de agosto de 2019

Filha de Raul Seixas canta com Camisa de Vênus hits do Maluco Beleza em festival em SP

"Eu queria ter feito isso há muito mais tempo, mas sempre aparecia algo que me impedia de tirar o chapéu para a obra de Raulzito", conta.


Por Folhapress Publicado 21/06/2019
Divulgação

Liderado por Marcelo Nova, o Camisa de Vênus fechou o palco principal do festival Forró da Lua Cheia, em Altinópolis (SP), com uma participação especial nesta quinta (20). A DJ Vivi Seixas, filha de Raul (1945 – 1989), subiu ao palco para acompanhar a banda em duas canções de seu pai: “Aluga-se” e “Pastor João e a Igreja Invisível”.
O Camisa de Vênus fez a turnê Toca Raul! em 2017 e retomou a apresentação especialmente para o evento no interior de São Paulo. “Eu queria ter feito isso há muito mais tempo, mas sempre aparecia algo que me impedia de tirar o chapéu para a obra de Raulzito”, conta.
“Ele foi o primeiro compositor de língua portuguesa que eu consegui entender a ironia, o sarcasmo, a contestação. Antes dele era só barquinho, solzinho, por do sol, paz e amor, bichinhos”, afirma o líder da banda.
Metade do show são canções de Raulzito e a outra parte com músicas da própria banda, que lançou seu último disco de estúdio, o “Dançando na Lua”, em 2016. “A escolha do setlist foi basicamente voltada para as canções rock and roll”, explica Marcelo Nova. “Metamorfose Ambulante”, “Rock and Roll” e “Rock das Aranhas”, por exemplo, foram entoadas.
O elo entre os artistas baianos teve início em 1983, conta Marcelo, após a participação de Raul em um show do Camisa de Vênus no Circo Voador, no Rio. “A partir daí se estabeleceu uma amizade entre nós que durou até o dia que ele morreu”, relembra-se o roqueiro.
Apesar disso, a primeira gravação entre os dois veio apenas cerca de quatro anos depois – “Muita Estrela, Pouca Constelação”, do disco “Duplo Sentido”, do Camisa. Em 1989, eles fizeram o disco “Panela do Diabo” em conjunto.
Vivi Seixas e Marcelo Nova já se encontraram outras vezes para a homenagem ao pai dela no palco. “Quando eu estou junto com ele é um pedacinho do meu pai. É muito especial para mim.”
Neste ano, faz 30 anos que Raul Seixas morreu -21 de agosto de 1989. “Eu tinha oito anos. Tenho lembranças da infância. Ele colocava gravações para eu cantar, lembro da barba dele Faz 30 anos que meu pai morreu e ele está cada vez mais vivo”, diz Vivi.

FORRÓ DA LUA CHEIA
O tradicional evento em Altinópolis (a 343 km de São Paulo) chegou à 29ª edição e traz na programação nomes como Elza Soares, Ney Matogrosso, Chico César, Planet Hemp, Djonga e Xênia França.
O festival, que começou nesta quinta (20), tem shows até domingo (23). Os ingressos estão disponíveis no site oficial com preços que variam de R$ 40 a R$ 430.