11 de dezembro de 2019

Jovem viralizou no Instagram e usa sua influência para salvar espécies ameaçadas

Gabriel Nogueira G. Souza, jovem CEO do serpentário Núcleo Serra Grande, recentemente viralizou no Instagram após publicar um vídeo sendo picado por uma cobra


Por Estadão Conteúdo Publicado 25/10/2019
Foto: Reprodução

As novas tecnologias alinhadas às mídias sociais possibilitaram o surgimento de um novo personagem: o influenciador digital. O influenciador é aquela pessoa que produz conteúdo nas redes sociais (Facebook, Instagram, YouTube e outras) e consegue atingir um grande número de fãs que acompanham suas atividades e interagem diariamente com ele. A relevância do influenciador se tornou grande no cenário atual, de forma a este ser considerado por seus seguidores fonte confiável de informação e fator importante na tomada de decisão, conforme pesquisa realizada pelo Instituto Qualibest, 55% dos entrevistados confiam nos influenciadores que acompanham.

O diferencial do influenciador em relação às outras figuras públicas é a liberdade que este tem para expressar sua opinião e falar sobre o que realmente acredita, transmitindo mais confiança e credibilidade para o seu público. O estudo do Instituto Qualibest afirma ainda que, dentre as diversas categorias acompanhadas pelas pessoas em suas redes sociais, 13% dos homens e mulheres participantes apontaram o nicho relacionado ao meio ambiente e sustentabilidade.

Categoria que se encontra Gabriel Nogueira G. Souza, jovem CEO do serpentário Núcleo Serra Grande, que recentemente viralizou no Instagram após publicar um vídeo sendo picado por uma cobra. No vídeo, ele reproduz a pergunta que sempre fazem a ele: “Gabriel, o que acontece se uma cobra não-peçonhenta te picar?”, e entrega o próprio braço para uma jiboia picar, e após ser picado, mostra que nada aconteceu, que não é preciso ir a um hospital, e muito menos ferir ou matar este tipo de cobra. Sua frase final se tornou um jargão: “Limpou, ‘tá’ novo”.

Em funcionamento há 16 anos, o Núcleo Serra Grande, onde o jovem grava a maioria dos seus vídeos, é o criatório de conservação das últimas surucucus da Mata Atlântica, servindo de lar e ambiente de preservação para serpentes. O Gabriel e seu pai, Dr. Rodrigo, fundador do serpentário, apesar dos muitos gastos para manter o criatório e realizar resgates de serpentes na região, unem esforços e promovem resultados notáveis para a natureza e para a comunidade científica.

Surucucu-pico-de-jaca, surucucu-de-fogo, cobra-topete ou surucutinga são alguns dos nomes populares da Lachesis muta, a maior serpente venenosa da América Latina, essa espécie silvestre pode atingir mais de 2,5m de comprimento, vive no chão das matas e se alimenta de ratos grandes e outros mamíferos. Nativa da Floresta Amazônica e da Mata Atlântica, a surucucu-pico-de-jaca é uma espécie vulnerável, mas graças aos esforços do Gabriel e do Dr. Rodrigo no Núcleo Serra Grande como primeiros no mundo a realizar a reprodução da Lachesis muta, ela se encontra mais protegida, trazendo um recorde mundial para o Brasil.

Gabriel Nogueira compartilha a atividades do seu cotidiano no Instagram e seus seguidores adoram, retribuindo com comentários e interações todo o carinho do jovem. Ele gosta de levantar questionamentos relacionados à natureza, preservação e biodiversidade entendendo o pensamento de seus seguidores e dividindo com eles seus conhecimentos e vivencias. Em entrevista, Gabriel contou o quanto se sente grato com tudo isso: “Eu comecei esse Instagram sem pretensão alguma, a ideia era mostrar um pouco do meu dia a dia. Mas aí comecei a receber mensagens de muitas pessoas dizendo que impediram alguém de matar um animal, salvaram um animal de ser atropelado e isso pra mim é o mais gratificante, salvar vidas ”

Essa nova forma de veicular informações permite que pessoas compartilhem aquilo que é importante para elas e consigam influenciar de maneira positiva seus seguidores. Nas palavras do Gabriel, “o melhor jeito de impedir a morte de animais é espalhar o conhecimento e essa visibilidade no Instagram me permitiu fazer isso”. De acordo com a pesquisa Raio-X dos influenciadores digitais do Brasil, realizada pela Apex, os temas abordados pelo produtor de conteúdo fazem com que ele crie um laço afetivo com seu público que acaba se identificando de forma natural e não mecânica.

Dados do The Influencer Marketing Manifesto mostraram que 71,2% dos influenciadores pesquisados acreditam que a fidelidade de seus seguidores, que permanecem engajados, se deve a autenticidade do conteúdo. E autenticidade é o que o Gabriel entrega: em suas horas vagas, entra em seu carro e procura por serpentes que estão atravessando a pista, aplicando seu tempo e dinheiro para salvar esses animais em perigo. Tudo é documentado e depois transmitido para seus seguidores. Além disso, o telefone do jovem fica disponível para quem precisar ligar, em sua região, solicitando o resgate de uma serpente.