31 de maio de 2020

Educador físico de Limeira contraria recomendação e faz campanha para pessoas saírem de casa

Ao contrário do que pregam especialistas do mundo todo, limeirense estaria organizando uma caminhada com seus seguidores


Por Danilo Janine Publicado 04/04/2020 Atualizado em 06/04/2020 às 12:31
Foto: Reprodução/Instagram

Ao contrário do que pregam especialistas do mundo todo, um educador físico de Limeira usou suas redes sociais para fazer uma campanha incentivando todos a saírem de casa para uma caminhada. Com a hashtag #saidecasa, o educador físico, Carlos Henrique Salomé, usou sua conta no Instagram para criar a campanha.

Nela, o profissional de educação física pede a opinião de seus seguidores sobre sair de casa e realizar a caminhada. Na postagem, Salomé prometeu publicar um vídeo expondo seus argumentos contrários ao isolamento social, mas até a tarde deste sábado (4), o vídeo ainda não tinha sido publicado.

Na postagem, em meio a alguns elogios, o educador físico recebeu diversas críticas e questionamento sobre sua postura.

Questionado pela Educadora, o profissional de educação física, que afirmou respeitar a opinião de todos, disse que seu objetivo com a publicação foi gerar o debate. “De fato, devemos todos ficar dentro de casa e achar, assim, que o problema irá se resolver?”

Salomé explicou ainda que também queria orientar seus seguidores, sobre como sair de casa em segurança. “Tem gente que ficou brava porque eu saí correr ao ar livre, como se houvesse a possibilidade de, ao ar livre, eu contrair o coronavírus”, afirmou.

O educador físico também falou sobre o fato de algumas pessoas estarem adoecendo por terem que ficar só dentro de casa, além da questão econômica e dos empregos que poderão ser perdidos durante a quarentena. “Algumas pessoas estão na ‘neura’, como se o coronavírus pegasse, simplesmente, por estar na rua”, falou.

Ouça abaixo o que disse o profissional de educação física sobre a campanha.

Profissionais de educação física ouvidos pela Educadora, e que não quiseram ter os nomes revelados, afirmaram que irão procurar os órgãos responsáveis pela categoria para fazer uma denúncia.

*Colaborou Nani Camargo