12 de dezembro de 2019

Duas pessoas morrem de febre maculosa em Iracemápolis

Casos aconteceram no primeiro semestre e início de setembro deste ano, mas informações só foram divulgadas agora


Por Redação Educadora Publicado 21/11/2019
Divulgação

Duas mortes por febre maculosa foram confirmadas pela Secretaria de Saúde de Iracemápolis. As vítimas, dois homens, tinham 51 e 64 anos. Uma jovem de 20 anos, que também foi contaminada com a doença, foi curada. O contato das pessoas com o carrapato transmissor da doença, aconteceu na zona rural da cidade, segundo a Secretaria de Saúde de Iracemápolis.

A primeira morte foi registrada no primeiro semestre de 2019. A segunda é do início de setembro. As informações dos óbitos só chegaram à imprensa agora.

Em nota, a Prefeitura de Iracemápolis informou que a cidade é propícia para a doença devido a grande zona rural, além da concentração de animais hospedeiros, como as capivaras.

A nota cita ainda que a Prefeitura realiza campanhas de conscientização em escolas e postos de saúde, além de sinalizar as áreas de risco. “Há registro de pessoas indo à represa municipal, por exemplo, mesmo sabendo que ali é uma área de risco”, informa. A Represa Municipal de Iracemápolis é um dos locais onde há uma grande concentração de capivaras.

TRANSMISSÃO

A febre maculosa é transmitida pela picada do carrapato-estrela. As áreas verdes com grande concentração de animais hospedeiros, como as capivaras, são consideradas áreas de risco. O quadro inicial da doença é de febre alta, com vômitos, dores de cabeça, no corpo e perto dos olhos, enjoo, diarreia e falta de apetite. Após alguns dias do contágio, manchas vermelhas começam a aparecer pelo corpo.

Texto: Roberto Gardinalli