23 de fevereiro de 2020

Para NYT, acusação a Greenwald é ‘ataque à imprensa livre’

De acordo com o texto, as reportagens de Greenwald, que ficaram conhecidas como "Vaza Jato", "fizeram o que a imprensa livre deve fazer


Por Estadão Conteúdo Publicado 22/01/2020
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, 25.06.2019: O jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil, fala sobre mensagens de Sergio Moro na Comissão de Direitos Humanos da Câmara, em Brasília. Foto: Mateus Bonomi/Agif/Folhapress

O jornal americano The New York Times publicou nesta quarta-feira (22) artigo em que qualifica a acusação criminal contra o jornalista Glenn Greenwald como um “caso familiar de: atire no ‘mensageiro’ e ignore a mensagem”. O jornal ainda classifica a versão brasileira de The Intercept como “uma pedra no sapato” do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

De acordo com o texto, as reportagens de Greenwald, que ficaram conhecidas como “Vaza Jato”, “fizeram o que a imprensa livre deve fazer: elas revelaram um lado doloroso daqueles no poder. Furar a imagem heroica de (Sérgio) Moro foi, obviamente, um choque para os brasileiros, e danosa à Bolsonaro, mas pedir que os defensores da lei sejam escrupulosos na fidelidade a ela é essencial para a democracia. Atacar os portadores dessa mensagem é um sério desserviço e uma ameaça perigosa ao Estado de Direito”.

Ainda segundo o artigo do jornal americano, “infelizmente, atacar a imprensa livre e crítica se tornou o pilar da nova raça de líderes iliberais no Brasil, bem como nos Estados Unidos e ao redor do mundo. Acusações de transgressões são desqualificadas como ‘fake news’ ou calúnia política, e o poder do Estado é usado, não contra as autoridades acusadas, mas contra o repórter”.