12 de dezembro de 2019

Frota vaza conversa com crítica a articulação para tirar Bivar do comando do PSL

O movimento pelo afastamento de Bivar ganhou força depois de a Folha de S.Paulo ter mostrado que o dirigente da legenda apresentou à Câmara e ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) notas fiscais de empresas que negociam a venda desse tipo de documento.


Por Folhapress Publicado 08/06/2019

O deputado Alexandre Frota (PSL-SP) publicou em sua conta do Twitter uma conversa que demonstra o descontentamento de parlamentares do PSL com a articulação, liderada por aliados do presidente Jair Bolsonaro, para remover Luciano Bivar do comando do partido.

O movimento pelo afastamento de Bivar ganhou força depois de a Folha de S.Paulo ter mostrado que o dirigente da legenda apresentou à Câmara e ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) notas fiscais de empresas que negociam a venda desse tipo de documento.

Em seu perfil, Frota publicou a imagem de um grupo de WhatsApp chamado Bancada PSL 2019.

Nela, um número identificado como sendo o do senador Major Olimpio (PSL-SP) encaminha ao grupo reportagem que mostra que o possível afastamento de Bivar foi tratado, neste sábado (8), em uma reunião no Palácio da Alvorada.

“Que porra é essa?”, escreveu Olimpio no grupo.

 

Procurado, o senador confirmou ter enviado a mensagem. “Eu só estava na estrada e eu vi o negócio sobre o afastamento e perguntei no grupo. Eu não sei de reunião, estava voltando de São Carlos. Eu não estou sabendo de nada disso”, disse.

“Eu quero que se apure e que se investigue o que for. Eu não posso falar [que] vamos fazer um afastamento do cara por causa de uma matéria jornalística. Vamos apurar isso aí”, concluiu.

Na imagem divulgada por Frota, um número identificado como sendo do deputado Filipe Barros (PSL-PR) responde ao senador e diz tratar-se de fake news. Barros também confirmou ter enviado a mensagem no grupo.

“Quero avisar que eu Alexandre Frota não vou participar da fritura do Bivar”, escreveu Frota no Twitter. “E digo mais, vocês não fazem ideia do relacionamento do Bivar e [do Antonio] Rueda [vice-presidente do PSL]. Eu estou com eles 100%. Se tiverem que afastar alguém temos outros nomes PSL. Eu sempre desconfiei do que estou vendo”, disse o parlamentar.

Além do presidente da República, estiveram na reunião deste sábado no Alvorada o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e os advogados Karina Kufa, que comanda a área jurídica do PSL, e Rueda.

A avaliação é que a situação de Bivar afeta negativamente a imagem de Bolsonaro, que já sofre o desgaste de outras acusações envolvendo o partido, como a de candidaturas de laranjas.

No encontro deste sábado no Alvorada, foram tratadas opções jurídicas para justificar o afastamento de Bivar.

Há a preocupação, no entanto, que a eventual saída de Bivar crie traumas com a bancada do partido no Congresso, já que não há unidade interna no repúdio à conduta de Bivar.
Congressistas ouvidos reservadamente pela Folha dizem que o deputado conta com o apoio de parlamentares, embora esse suporte não seja unanimidade.