19 de novembro de 2019

Carlos Bolsonaro usa código morse para dizer: “Lula tá preso, babaca!”

Código é usado para se comunicar através de pontos e traços. Soltura do ex-presidente ganhou força após vazamento de mensagens de Moro


Por Redação Educadora Publicado 13/06/2019

O terceiro filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e vereador no Rio de Janeiro (RJ), Carlos Bolsonaro (PSL), usou do código morse – sistema de representação de letras e algarismos através de um sinal codificado –, na manhã desta quinta-feira (13), para repetir, de outra maneira, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso.

“Lula está preso babaca!!!”, escreveu Carlos Bolsonaro. A frase é uma resposta aos pedidos de soltura do petista, influenciados pela crise que passa o ex-juiz da Lava Jato e atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Desde domingo (09), o The Intercept Brasil publicou uma série de reportagens expondo mensagens trocadas entre Moro, um dos responsáveis pela prisão de Lula, e procuradores da Lava Jato, como o coordenador da força-tarefa em Curitiba, Deltan Dallagnol.

A frase original foi dita, ao longo da campanha presidencial de 2018, pelo irmão do então candidato Ciro Gomes, Cid Gomes. Em um evento de campanha, Cid foi atacado por militantes petistas ao criticar Lula. Ao que ele respondeu: “O lula tá preso, babaca”.

Desenvolvido no século 19, o Código Morse é um sistema binário de comunicação. A ideia é utilizar sons ou tempos curtos e longos – logo, as mensagens são transmitidas por meio de intervalos de som ou luz, por exemplo. No caso do Carlos, o pesselista utilizou de pontos e traços para se comunicar. O código foi utilizado no início do telégrafo e serviu de grande importância durante a Segunda Guerra Mundial.

Reprodução

 

Para entender como funciona, basta substituir a sequência de traços e pontos pela letra, conforme a tabela abaixo. No caso do filho 03 de Bolsonaro, o primeiro código foi um ponto, um traço e dois pontos (._..) que representa a letra L. Assim acontece sucessivamente.