11 de dezembro de 2019

Bolsonaro perguntou se príncipe era gay antes de desistir dele como vice, diz Frota

Deputado volta a fazer declarações polêmicas


Por Redação Educadora Publicado 13/11/2019
Bolsonaro e Alexandre Frota
Publicação do tucano foi feita nesta quarta-feira (Foto: Michel Jesus/ Câmara dos Deputados)

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) afirmou à Folha de S.Paulo que o presidente Jair Bolsonaro desistiu de indicar o príncipe Luiz Philippe de Orleans e Bragança como vice em sua chapa presidencial depois de ter recebido fotos comprometedoras dele.

“Perguntei: ‘Que fotos?’ [Bolsonaro] disse que depois me mostraria, mas me perguntou se eu sabia se o príncipe era gay ou não. Eu disse que não sabia”, diz Alexandre Frota.
Segundo o deputado, o então candidato a presidente pediu a ele o número do celular do presidente do PRTB, Levy Fidelix, para convidar o general Hamilton Mourão para ser candidato a vice.
“Ele [Bolsonaro] pediu para que eu não falasse nada sobre o príncipe deixar de ser o vice dele, que ele conduziria com a imprensa”, diz Frota.
O Palácio do Planalto diz que não vai comentar. O príncipe, que hoje é deputado federal, não respondeu à reportagem. À revista Crusoé, ele afirmou ter sido vítima de um dossiê falso.
Frota enviou um relato por escrito à reportagem, por WhatsApp, com detalhes do que diz ter ocorrido.

“Ele [Bolsonaro] estava com o [coordenador da campanha, Gustavo] Bebianno no aeroporto para embarcar para São Paulo. Era dia da convenção do PSL e ele havia convidado o príncipe Frozen [referindo-se à Philippe] para ser vice. Às 5h, me ligaram do aeroporto pedindo o celular do Levy Fidelix [presidente do PRTB] e dizendo que [Bolsonaro] iria chamar o General [Hamilton Mourão] pra vice, que não iria colocar o príncipe porque haviam mandado umas fotos do príncipe pra ele.
Perguntei: que fotos? Ele disse que depois me mostraria, mas me perguntou se eu sabia se o príncipe era gay ou não. Eu disse que não sabia.
Ele pediu para que eu não falasse nada sobre ele deixar de ser o vice, que ele conduziria com a imprensa.

A gente se encontrou no aeroporto. Dei o celular do Levy e fui esperá-lo no aeroporto. Com ele estavam Bebianno e [candidato a deputado] Julian Lemos. Às 9h, eles chegaram.
Durante o trajeto, ele ligou para o Levy e fechou com o Mourão. Tanto que na convenção, nem cumprimentou o príncipe, que estava lá com amigos, fotógrafos e a corte para ser anunciado. Ficou só olhando.

Bebianno, Levy e Julian sabem que foi assim. Inclusive, no aeroporto, quem estava comigo era o Marcos Pontes e a esposa dele. Bolsonaro chamou Pontes para ir com ele dentro do carro da PF. Quando acabou a convenção, fomos para o clube Sírio Libanês, onde estava acontecendo a convenção do PRTB, e ali foi anunciada a vice-liderança do Mourão, hoje descartado covardemente por Jair.
Nunca vi as fotos e não sei do que se tratam. Apenas imagino.”