20 de novembro de 2019

Bolsonaro evita falar sobre permanência de Bivar no comando do PSL

Questionado se Bivar deveria continuar no comando do PSL, Bolsonaro respondeu: "Eu não acho nada."


Por Folhapress Publicado 09/06/2019

O presidente Jair Bolsonaro evitou neste domingo (9) comentar a situação do deputado Luciano Bivar (PE), presidente nacional do PSL antingido por acusações de uso de notas fiscais frias.

Questionado se Bivar deveria continuar no comando do PSL, Bolsonaro respondeu: “Eu não acho nada.”

O jornal Folha de S.Paulo mostrou que o dirigente da legenda apresentou à Câmara e ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) notas ficais de empresas que negociam a venda desse tipo de documento.

Em fevereiro, a Folha de S.Paulo também revelou que o grupo político de Bivar lançou candidatas laranjas em Pernambuco que receberam mais de R$ 600 mil de dinheiro público do partido na eleição de 2018.

As revelação de uso de notas frias desencadeou uma articulação de aliados de Bolsonaro para tirar Bivar do comando do PSL.

O tema foi tratado na manhã do sábado (8), numa reunião do presidente da República com o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e os advogados Karina Kufa e Antonio Rueda (que é vice-presidente da do partido).

A avaliação é que situação de Bivar afeta negativamente a imagem de Bolsonaro, que já sofre o desgaste de outras acusações envolvendo a legenda.

No encontro deste sábado no Alvorada, foram tratadas opções jurídicas para justificar o afastamento de Bivar.

Há a preocupação, no entanto, que a eventual saída de Bivar crie traumas com a bancada do partido no Congresso, já que não há unidade interna no repúdio à conduta do atual presidente da legenda.