17 de junho de 2019

Travestis são acusadas de agredir e ameaçar funcionários de posto de combustíveis com deficiência intelectual, em Limeira

As duas confessaram a agressão e disseram que a confusão só começou porque elas foram ofendidas e chamadas de “viados”


Por Danilo Janine Publicado 16/04/2019
Arte/Educadora

Duas travestis, entre elas uma adolescente, de 17 anos, podem responder por agressão e ameaça contra dois funcionários de posto de combustíveis e serviços, na Rodovia Anhanguera (SP-330), em Limeira. A confusão ocorreu na tarde de segunda-feira (15) e os dois empregados do posto são portadores de deficiência intelectual.
Conforme consta no Boletim de Ocorrência, as duas travestis, de 17 e 28 anos, vinham em um ônibus, que viajava da cidade de Araraquara a São Paulo e parou no posto, no km 154 da estrada.
No restaurante, elas teriam jogado refrigerante em um dos atendentes, de 32 anos, que também teria levado um chute na barriga. Outro atendente, de 29 anos, teria sido ameaçado de morte por elas.
Após a confusão, as duas embarcaram no ônibus, que seguiu para a capital. Outros funcionários do posto, que presenciaram a confusão, acionaram a Polícia Militar Rodoviária e os cabos Ricolini e Sanches foram até o local. Lá, eles conseguiram o telefone do motorista do ônibus e em contato com ele, foram informados sobre onde o veículo estava.
Os policiais de Limeira fizeram contato com uma base da Polícia Rodoviária de São Paulo e uma viatura conseguiu abordar o ônibus no km 36 da Rodovia dos Bandeirantes (SP-348), já bem próximo de São Paulo.
Ainda conforme consta no registro policial, as duas travestis foram abordadas, confessaram a agressão e disseram que a confusão só começou porque ambas teriam sido ofendidas e chamadas de “viados”.
Elas foram trazidas para uma base da Polícia Rodoviária de Campinas e lá para o Plantão Policial de Limeira, onde após o registro da ocorrência foram liberadas.