22 de setembro de 2019

PM da Rota é assassinado em frente de casa em São Paulo

Fernando Flávio Flores, 38, foi atingido por uma dezena de tiros de fuzil dentro de seu carro. Ao menos dois suspeitos participaram do ataque e estão sendo procurados pela polícia. 


Por Redação Educadora Publicado 04/05/2019
Divulgação (PM)

Um policial militar da Rota (grupo de elite da PM) foi assassinado no momento em que saía de casa para o trabalho, na manhã deste sábado (4), em Interlagos, na zona sul da capital paulista. Fernando Flávio Flores, 38, foi atingido por uma dezena de tiros de fuzil dentro de seu carro. Ao menos dois suspeitos participaram do ataque e estão sendo procurados pela polícia.

O policial morreu por volta das 6h30. Segundo relatos de um médico que atestou o óbito, os tiros que ficaram concentrados na cabeça e no tórax da vítima.
Imagens captadas por uma câmera de segurança da rua mostram que o ataque foi rápido e durou menos de um minuto. Fernando aparece manobrando o seu carro. Ele estaciona o veículo em frente de casa, na rua Artur Nascimento.

Ele sai do veículo, um Fiat Doblò verde, para fechar o portão e quando retorna ao carro, as imagens mostram um carro branco se aproximando em alta velocidade. Nele estão os suspeitos, que param na rua e, de frente para o carro do policial, começam a atirar.

Os primeiros disparos são feitos por um dos criminosos que estava sentado no banco do passageiro. Segundos depois, outro comparsa desce, se aproxima do carro de Fernando e faz uma sequência de disparos. Nenhuma outra pessoa se feriu.

Na fuga, os suspeitos queimaram e abandonaram o veículo usado no ataque em Parelheiros (zona sul). Dentro do carro, a polícia encontrou um estojo de munição 5.56.

Fernando era cabo e trabalhava no 1º Batalhão de Choque da Rota. O crime foi registrado no 101º DP (Jardim das Embúias).

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da gestão Doria (PSDB), a Polícia Civil abriu um inquérito para apurar o ataque. As investigações serão acompanhadas pelo Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa e pelo grupo da Corregedoria da PM que investiga crimes contra policiais.

Esta é a segunda morte registrada de um policial da Rota em dez dias. No dia 25 de abril, outro militar da corporação foi assassinado a tiros em Santos, no litoral.