15 de dezembro de 2019

Padres do MT são denunciados por abuso sexual; coroinha diz que há outras vítimas

Os estupros e assédios sexuais teriam acontecido nas cidades de Rondonópolis e Alto Garça (MT)


Por Redação Educadora Publicado 03/12/2019
Padre - Divulgação

Um padre de 33 anos é acusado de abusar sexualmente de ao menos três coroinhas de sua paróquia. Os estupros e assédios sexuais teriam acontecido nas cidades de Rondonópolis (MT) e Alto Garças (MT).

O caso veio à tona no dia 11/11, quando a tia da principal vítima foi até um padre pedir aconselhamento em relação ao seu filho. O sacerdote, no entanto, perguntou sobre o sobrinho dela, hoje com 17 anos, visto que ela havia cuidado dele por um tempo.11

A pergunta motivou a mulher a procurar o sobrinho para conversar. O menino, então, contou à tia que, em setembro de 2015, antes de um acampamento, teve um relacionamento com um amigo de sala, que, assim como ele, tinha 13 anos.

Ele, porém, arrependeu-se e foi se confessar com um padre. Depois da confissão, o padre teria começado a se aproximar do adolescente e, com o passar do tempo, começado a pedir fotos dele, sem as roupas.

O adolescente enviou as fotos para o padre via WhatsApp e, conforme o boletim de ocorrência, não teria demorado muito para o padre começar a levá-lo ao shopping para comer e a lhe dar dinheiro – e o adolescente acredita que o padre estaria tentando “conquistá-lo”.

Pouco depois, o sacerdote teria levado o adolescente para a casa da avó dele, onde o garoto teve a primeira relação sexual, aos 13 anos. Eles passaram anos se encontrando, segundo o boletim de ocorrência registrado, até que no dia 29 de julho deste ano o adolescente disse ao padre que não queria mais se relacionar com ele.

A negativa, no entanto, não funcionou como o garoto esperava e, segundo ele, o padre o “obrigou a manter relação sexual com ele e ainda lhe deu R$ 50”.

Segundo o garoto, o padre chegou a mandar fotos para ele, tomando sorvete com uma garota.

*veja a matéria completa no portal O Livre