19 de setembro de 2019

Operação prende grupo que utilizava drones para transportar objetos para prisões

Até o momento, 20 integrantes do crime organizado foram presos


Por Redação Educadora Publicado 08/05/2019
A Polícia Civil deflagrou, nesta quarta-feira (8), a operação “Voo de Ícaro” com o objetivo de prender criminosos que atuam dentro e fora dos presídios, transportando objetos para unidades prisionais com a utilização de drones. Até o momento, 20 pessoas do crime organizado já foram presas.

A ação está sendo realizada em todo o Estado de São Paulo por meio da mobilização de 154 agentes, com o apoio de 41 viaturas.
Segundo o apurado durante investigações, os criminosos monitoravam e controlavam os equipamentos externamente para realizar o transporte de materiais, como drogas, chips, celulares e cartas para dentro de presídios.
Cada drone utilizado está avaliado em R$ 16 mil e chegava a carregar até um quilo de objetos por sobrevoo.
Para a movimentação financeira, o grupo abria contas bancárias e realizava repasses utilizando nomes e documentos de outros membros do crime, sendo que a liderança destas operações ficava à cargo da esposa de um detento, presa nesta manhã, durante a ação da polícia.
Até o momento, foram cumpridos 20 mandados de prisão, sendo nove em unidades prisionais com o auxílio do Grupo de Intervenção Rápida da Administração Penitenciária (GIR). Também houve o cumprimento de 13 mandados de busca e apreensão que resultaram na apreensão de celulares, binóculos, drogas, dinheiro e balanças de precisão.
Além disso, várias contas de integrantes da organização criminosa foram bloqueadas.
 
Geolocalização
As investigações para a realização da operação apontaram que os criminosos utilizam da pesquisa em aplicativo de geolocalização para ter acesso visual aéreo das unidades prisionais e seu entorno. Sendo assim, será feita a representação junto ao Poder Judiciário para que seja expedido mandando judicial para “desfocar” áreas de segurança nesta ferramenta.