09 de dezembro de 2019

Mãe acusa médico da Policlínica, em Limeira, de dizer que filho viraria um drogado caso não fosse educado agora

Mulher, que registrou um Boletim de Ocorrência contra o profissional de saúde, também o acusa de tê-la chamado de incompetente


Por Danilo Janine Publicado 06/05/2019
Arte/Educadora

Uma mulher, de 36 anos, procurou o Plantão Policial de Limeira no final da tarde de sexta-feira (3), para registrar queixa contra um médico que atua na Policlínica Dr. Odair Ragazzo de Camargo, na Avenida Carolina de Barros Levi, na região central da cidade, o acusando de injúria.
Conforme consta no Boletim de Ocorrência, na sexta-feira (3), pela manhã, ela levou o filho, de seis anos, para uma consulta médica com o endocrinologista e que a criança faz acompanhamento com o médico há cerca de oito meses e que em todas as consultas, o médico seria grosso com ela.
A mulher relatou ainda no Boletim de Ocorrência que naquela manhã, por conta do filho não conseguir perder peso e de ela ter informado que o garoto pegaria comida escondido na geladeira na madrugada, ele teria dito que “se ele continuar assim, sem controle, pode se tornar um drogado e vai usar cocaína, maconha e crack”.
A mãe contou também que pediu encaminhamento do filho para um psicólogo e que neste momento o médico teria dito que quem deveria passar por um psicólogo seria ela, por ser “incompetente”.
A Educadora entrou em contato com a Prefeitura de Limeira, que através de nota, enviada pela Secretaria de Comunicação Social, disse que “a Secretaria de Saúde, após contato com o profissional, informa que o referido paciente faz tratamento com médico por obesidade, sendo que no último mês houve ganho de peso. Após relato da mãe que o filho tem compulsão por comida, o profissional orientou a mãe para colocar limites ao filho para ter sucesso no tratamento. Caso contrário, as consultas não teriam nenhum resultado prático. A pasta ressalta que o profissional está há 15 anos na rede pública, sendo a primeira reclamação contra o mesmo”.