08 de August de 2020

Jovem deficiente pede ajuda na Apae por não aguentar mais ser abusada por padrasto

Mãe da vítima também tem problemas mentais; secretária da APAE acionou o Cras e denunciou caso à polícia


Por Redação Educadora Publicado 29/09/2019

Uma jovem de 19 anos, com deficiência mental moderada, resolveu pedir ajuda à secretária da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Nova Bandeirantes (MT), onde ela estuda, dizendo ser abusada sexualmente pelo padrasto.

Ela procurou a secretaria da unidade dizendo não aguentar mais o que estava passando e, ao ser questionada sobre qual seria o problema, contou que o padrasto toca em várias partes do seu corpo constantemente.

Ao ouvir o relato, a secretária acionou representantes do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) da cidade, inicialmente para tentar resolver o problema, mas juntas resolveram procurar a polícia e denunciar o caso.

Ainda de acordo com o B.O., a mãe da aluna, companheira do suspeito, também é deficiente mental.

A denúncia foi encaminhada para a Polícia Judiciária Civil, que investiga o caso.