20 de novembro de 2019

Enfermeiro do Santos é preso suspeito de estuprar jovens

De acordo com o MP, o enfermeiro se identificava como massagista do clube de futebol, para aliciar jovens do interior de São Paulo, na faixa etária de 13 anos


Por Folhapress Publicado 19/06/2019
Auxiliar de enfermagem do Santos, Clóvis Aparecido Vesco, de 61 anos, foi preso por estuprar menores — Foto- G1 Santos

Um técnico de enfermagem do Santos Futebol Clube, de 61 anos, foi preso preventivamente em Lindoia (154 km de SP) suspeito de abusar sexualmente de jovens, prometendo-lhes que despontariam no futebol. O número de vítimas não foi informado.

Segundo o MP-SP (Ministério Publico de São Paulo), o suspeito dopava as vítimas, em seu apartamento em Santos (72 km de SP) e, em seguida, cometia os estupros. A prisão ocorreu na segunda-feira (17) em cumprimento a um mandado de prisão, expedido pela Justiça. A defesa do enfermeiro não foi localizada pela reportagem.

Ainda de acordo com o MP , o enfermeiro se identificava como massagista do clube de futebol, para aliciar jovens do interior de São Paulo, na faixa etária de 13 anos. “O homem conduzia as vítimas para seu apartamento e, recorrendo a medicamentos para que elas ficassem inconscientes, estuprava-as”, diz trecho de nota do MP.

Investigação da DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) de Santos indica que um adolescente chegou a morar com o suspeito, por cerca de três anos. Durante este período, segundo o MP, a vítima sofreu reiterados estupros. “Os estupros somente foram descobertos porque uma das vítimas acordou durante o abuso e contou para sua mãe, levando o crime ao conhecimento das autoridades”, acrescentou o MP.
Em cumprimento a um mandado de busca e apreensão na residência do enfermeiro, ainda na segunda-feira (17), a polícia encontrou e apreendeu o medicamento usado pelo suspeito para dopar às vítimas, antes de abusá-las.

O Ministério Público ainda disse que vai continuar adotando as demais providências penais cabíveis para identificar quantos jovens foram estuprados pelo enfermeiro.
Resposta O Santos Futebol Clube afirmou que a prisão do enfermeiro “não guarda qualquer relação” com as atividades desempenhadas pelo acusado, que trabalha no clube desde 2010.
“Tendo em vista que há investigações em curso, envolvendo fatos repugnantes, coloca-se o Santos Futebol Clube à disposição das autoridades para colaborar com o que se fizer necessário”, diz trecho de nota.