18 de junho de 2019

Dupla confessa que aplicou silicone industrial em jovem morta em Lorena

De acordo com o delegado Ernani Braga, os suspeitos, que são transexuais e usam identidades femininas, foram encontrados em uma casa no Jardim Paraíso, em Jacareí


Por Redação Educadora Publicado 26/04/2019

Duas pessoas foram detidas na tarde desta quinta-feira (25) e, em depoimento à polícia, confessaram que aplicaram silicone industrial nos glúteos da jovem que morreu após procedimento estético em Lorena (SP). Dayane Rodrigues da Silva, de 25 anos, morreu na noite de quarta-feira (24).

De acordo com o delegado Ernani Braga, os suspeitos, que são transexuais e usam identidades femininas, foram encontrados em uma casa no Jardim Paraíso, em Jacareí (SP).

Elas atuavam como cabeleireiras e, após serem detidas, foram levadas para a delegacia de Lorena, onde prestaram depoimento. Elas estão presas cela isolada.

À polícia, as duas contaram que já fizeram o mesmo procedimento em outras pessoas, mas não souberam informar a quantidade de atendimento. Elas não eram habilitadas a fazer o procedimento e não informaram para a polícia onde conseguiram o material injetado em Dayane.

Segundo a polícia, as cabeleireiras vão passar por audiência de custódia na manhã desta sexta-feira (25). A dupla deve responder por homicídio doloso – com dolo eventual, ou seja, quando se assume o risco de matar. O G1 tenta localizar a defesa das cabeleireiras.

O pai da vítima, José da Silva, cobra justiça. “Precisamos denunciar. Buscar uma estética boa, de maneira correta, é bom. Mas assim, como ela fez, foi procurar a morte”, lamentou. Dayane, que era viúva, deixa três filhos – eles têm entre 6 e 10 anos.

Morte
Segundo o pai da vítima, Dayane contratou dois profissionais de Jacareí que vendiam ‘tratamentos estéticos’. O atendimento da jovem estava marcado para 12h desta quarta-feira (24) na casa da vítima, no Cidade Industrial. O custo foi R$ 1,2 mil.

Durante o procedimento, com base em informações dadas por Dayane à uma amiga e conversas encontradas pela família no celular dela, Dayane passou mal e foi abandonada pela dupla, que sugeriu que ela estava tendo ‘queda de pressão’ quando ela alertou que passava mal.

Essa mulher que socorreu Dayane é a babá dos três filhos dela e levou a jovem à Santa Casa de Lorena.

A paciente deu entrada na unidade 16h53, segundo o prontuário médico. Na unidade, ela foi encaminhada para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), mas não resistiu. Dayane morreu às 19h após parada cardíaca.

A suspeita é que o produto injetado dela tenha relação com o óbito. Amostras do produto foram coletadas pelo IML, que vai emitir um laudo com a causa da morte nos próximos dias.

As informações são do portal G1 Vale do Paraíba e Região e da TV Vanguarda.