16 de setembro de 2019

Dois bolivianos são mortos a tiros na região central de São Paulo

Até a noite de segunda-feira (19), nenhum suspeito havia sido identificado pela polícia, que investiga o que teria motivado os crimes


Por Folhapress Publicado 20/08/2019
Foto: Reprodução/ Facebook

Dois bolivianos foram mortos e um foi ferido, a tiros, na noite deste domingo (18), na região do Pari (centro da capital paulista). Até a noite de segunda-feira (19), nenhum suspeito havia sido identificado pela polícia, que investiga o que teria motivado os crimes.

Segundo a Polícia Militar, duas das vítimas estavam na rua Ministro Francisco ensaiando músicas típicas de seu país, quando dois carros -um prata outro de cor escura- se aproximaram dos estrangeiros. De dentro dos veículos, suspeitos atiraram contra Roger Lipa Chambi, 29 anos, e um costureiro, de 30 anos.

Ainda segundo a polícia, uma testemunha, de 47 anos, encaminhou as duas vítimas até uma base da PM, de onde os estrangeiros foram levados ao pronto-socorro do Tatuapé. Chambi não resistiu aos ferimentos, segundo a SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão João Doria (PSDB). O outro boliviano, ainda segundo a pasta, permanecia internado até a publicação desta reportagem. O estado de saúde dele não foi informado.

Logo após as duas vítimas serem baleadas, Santos Rodrigues Apaza, 40 anos, também foi alvo de tiros na rua Condessa Elizabeth Rubiano, a cerca de 4 km de distância do primeiro local onde a dupla de vítimas foi atingida por disparos. Apaza foi encontrado já sem vida, ao lado de seu carro – que não teve o modelo informado.

“Imagens de câmeras de segurança da região foram analisadas pela Polícia Civil, que conseguiu localizar e apreender um dos automóveis utilizado pelos criminosos. O GM Monza prata foi encontrado, às 11h desta segunda-feira (19), na rua Juvenal Gomes Coimbra, no Belém [zona leste da capital paulista]”, diz trecho de nota da SSP.

O caso foi registrado como homicídio, homicídio qualificado e localização de objeto. O DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa) instaurou inquérito policial para investir o crime.