22 de julho de 2019

Homem doa dedo do pé para bar de hotel usar em coquetel tradicional

Tradicionalmente servido com uísque Yukon Gold, o dedão deve tocar os lábios de quem está consumindo a bebida, a fim de ganhar um certificado do bar.


Por Ana Paula Rosa Publicado 14/06/2019
NICK GRIFFITHS / FACEBOOK

Nick Griffiths, que perdeu o dedo congelado ao competir em uma maratona de inverno em Yukon, território no noroeste canadense, enviou seu dedão do pé pelo correio para o Downtown Hotel, em Dawson City.

Ele prometeu doá-lo na esperança de voltar à região de Yukon, onde está localizado o hotel, para tomar o coquetel Sourtoe com seu próprio dedo.

É isso mesmo. O preparo do célebre coquetel requer um ingrediente inusitado: um dedo do pé humano mumificado.

NICK GRIFFITHS / FACEBOOK

Por mais de quatro décadas, turistas e moradores vão até o bar do hotel para tomar o coquetel alcoólico de sua preferência servido com um dedo humano dissecado dentro do copo.

Um ditado local diz: “Você pode beber rápido, você pode beber devagar, mas seus lábios devem tocar o dedo do pé.”

Tradicionalmente servido com uísque Yukon Gold, o dedão deve tocar os lábios de quem está consumindo a bebida, a fim de ganhar um certificado do bar.

Mais de 86 mil coquetéis Sourtoe foram servidos desde 1973, quando o capitão Dick Stevenson teria encontrado um dedão preservado em uma cabine abandonada e teria tido a ideia de criar o drinque.

“Não poderíamos estar mais felizes em receber um novo dedo do pé”, declarou o gerente geral do Downtown Hotel, Adam Gerle, em um comunicado.

“Eles são muito difíceis de encontrar hoje em dia e essa generosa ‘doação de dedão’ vai ajudar a garantir que a tradição continue.”

Griffiths, de 47 anos, estava competindo na Yukon Arctic Ultra 2018 – uma maratona de inverno de vários dias, em que os participantes podem disputar corridas de 100, 300 e 430 milhas -, mas precisou abandonar o evento quando seu pé esquerdo congelou, fenômeno conhecido como “frostbite”.

NICK GRIFFITHS / FACEBOOK

Mais tarde, ele retornou ao Reino Unido, onde se recuperou no hospital.

Seu dedão foi conservado em álcool para uso médico após ser amputado.

E Terry Lee, que trabalha no bar, vai levar cerca de seis semanas para mumificar o membro com sal grosso antes de poder ser adicionado à bebida.

Gerle contou à BBC que o bar conta com cerca de quatro ou cinco dedos do pé disponíveis para servir com o coquetel, mas que “nada é mais gritante” do que um dedão.

O hotel fez apelos públicos pedindo que as pessoas doem dedos do pé amputados, mas a doação de Griffiths é “a primeira que é utilizável”.

Alguns dedos foram engolidos ou roubados no passado.

O hotel anunciou ainda que vai pagar para Griffiths ir até Yukon experimentar o coquetel Sourtoe com seu próprio dedo no fim deste verão.

Fonte: CNN