26 de junho de 2019

Explosões deixam pelo menos 138 mortos e centenas de feridos no Sri Lanka

O Sri Lanka enfrenta a pior onda de violência desde que sua guerra civil terminou há uma década.


Por Estadão Conteúdo Publicado 21/04/2019
Reprodução

Pelo menos 138 pessoas morreram e outras centenas ficaram feridas em explosões simultâneas que abalaram três igrejas e três hotéis no Sri Lanka no domingo de Páscoa, disse uma autoridade de segurança do país. O Sri Lanka enfrenta a pior onda de violência desde que sua guerra civil terminou há uma década.

Duas das explosões teriam sido realizadas por homens-bomba, segundo o oficial de segurança, que falou sob condição de anonimato porque não estava autorizado a conversar com repórteres. Fiéis e hóspedes do hotel estavam entre os mortos, disse a mesma fonte.

A magnitude do ataque relembrou a guerra civil de décadas do Sri Lanka, quando os separatistas Tigres de Libertação da Pátria Tâmil e outros grupos rebeldes atacaram o Banco Central, um shopping center, um templo budista e hotéis populares entre os turistas.

Ninguém assumiu imediatamente a responsabilidade pelas explosões de domingo.

O Sri Lanka há muito enfrenta uma divisão étnica entre a maioria cingalesa e a minoria tâmil. Os cingaleses são predominantemente budistas, enquanto os tâmeis são principalmente hindus, muçulmanos e cristãos.

O Santuário de Santo Antônio e os três hotéis onde ocorreram as explosões de domingo estão em Colombo, a capital, e são frequentados por turistas estrangeiros. O porta-voz do Hospital Nacional Dr. Samindi Samarakoon disse à Associated Press que eles receberam 47 mortos, incluindo nove estrangeiros, e estão tratando mais de 200 feridos.

A TV local mostrou danos nos hotéis Cinnamon Grand, Shangri-La e Kingsbury. Outras explosões foram reportadas na Igreja de São Sebastião, em Negombo, uma cidade majoritariamente católica ao norte de Colombo, e na Igreja de Sião, na cidade de Batticaloa, no leste do país.

Autoridades de segurança do Sri Lanka disseram estar investigando os ataques. A polícia imediatamente isolou as áreas atingidas.

O primeiro-ministro Ranil Wickremesinghe convocou as principais autoridades militares do Sri Lanka para uma reunião de emergência do Conselho de Segurança Nacional após as explosões. Wickremesinghe disse no Twitter que “o governo está tomando medidas imediatas para conter a situação”. Fonte: Associated Press.