11 de dezembro de 2019

Brasil é o 58º colocado no ranking mundial de bem-estar e consciência

O recorte Brasil ainda aponta que os principais motivos que levam o Brasil a essa situação de baixo bem-estar estão relacionados ao nível de corrupção


Por Estadão Conteúdo Publicado 22/11/2019
Divulgação

O autor e pensador inglês, Richard Barrett, estará no Brasil, entre os dias 30 de outubro e 21 de novembro, para o lançamento do “2019 GLOBAL CONSCIOUSNESS REPORT”, realizado pela Barrett Academy for the Advancement of Human Values, que utiliza ferramentas da metodologia dos Sete Níveis de Consciência desenvolvida por Richard Barrett: sobrevivência; relacionamentos; autoestima; transformação; coesão interna; fazer a diferença e servir.

O relatório apresenta o Indicador de Consciência Global (Global Consciousness Indicator – GCI) ? visão geral do estado atual da consciência mundial e como ela evoluiu entre 2014 e 2018, identificando as nações com mais consciência no mundo; as nações que melhoraram em consciência; e quais nações declinaram. Para esta temporada brasileira, Barrett preparou um recorte Brasil do estudo, que será apresentado ao longo dos encontros, palestras e workshops que realizará no país.

Indicador de Consciência Global (GCI)
O GCI é um barômetro de consciência que mede o bem-estar dos cidadãos de uma nação, baseado no modelo Barrett dos Sete Níveis de Consciência. Apesar do grande número de indicadores globais disponíveis, não há indicador que meça o bem-estar geral de uma nação. O GCI foi criado para corrigir essa situação, alocando dois, três ou quatro dos indicadores globais, como saúde, paz e educação, para cada um dos sete níveis de consciência – dezessete indicadores foram utilizados no total.

Recorte Brasil
O recorte Brasil do estudo será apresentado como “2019 WELL-BEING ? BRAZIL CONSCIOUSNESS REPORT” e coloca o Brasil como 58º colocado no ranking mundial de bem-estar, com registro de considerável queda no ranking, se comparado ao mapeamento de 2016, quando ocupávamos a 51ª colocação e de 2014, período em que éramos os 49º colocados. Pela lista, a Noruega é o país onde se desfruta do melhor bem-estar, seguido de países como Nova Zelândia, Finlândia, Dinamarca e Suíça.

O recorte Brasil ainda aponta que os principais motivos que levam o Brasil a essa situação de baixo bem-estar estão relacionados ao nível de corrupção, à precariedade da infraestrutura de saúde física e mental e ao baixo desempenho econômico. “Acredito que a evolução do cidadão, de uma organização ou da nação são definidas por Sete Níveis de Consciência, que são sobrevivência, relacionamentos, autoestima, transformação, coesão interna, interdependência e servir. Por essa razão, tenho me dedicado a formatar estudos e ações que resolvam esses desafios”, explica Barrett.