17 de novembro de 2019

Maia afirma que blindará Câmara e reformas de qualquer crise política

"Vamos blindar a Câmara de qualquer crise. Nosso esforço e nosso foco está na aprovação das reformas e de todos os projetos que são essenciais para o Brasil", escreveu Rodrigo Maia, no Twitter.


Por Folhapress Publicado 11/06/2019
(Foto: André Coelho/Folhapress)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta terça-feira (11) que irá “blindar a Câmara de qualquer crise”.
Sem fazer referência direta ao caso das mensagens entre o ministro da Justiça, Sergio Moro, e procuradores da Lava Jato na época em que ele era juiz, o deputado diz que o foco da Casa são as reformas.

“Vamos blindar a Câmara de qualquer crise. Nosso esforço e nosso foco está na aprovação das reformas e de todos os projetos que são essenciais para o Brasil”, escreveu Rodrigo Maia, no Twitter.

“Nada é mais importante do que o resgate da confiança, com o equilíbrio das contas públicas e a geração de empregos no país”, afirmou.

A oposição na Câmara anunciou na segunda-feira (10) que irá obstruir todas as votações no Congresso, pleiteando que Moro seja afastado do cargo.

A semana é crucial para o governo no Legislativo. O relatório final da Previdência deverá ser apresentado à comissão especial nesta quinta (13).

De acordo com os diálogos revelados pelo site The Intercept Brasil, Sergio Moro e Deltan Dallagnol trocavam colaborações sobre casos.

Os dois negam qualquer ilegalidade nas conversas interceptadas e pedem apuração dos vazamentos.

Sobre o risco de obstrução, o presidente da comissão especial que analisa a reforma da Previdência, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), afirmou nesta terça-feira (11) que se reunirá com membros da oposição para tentar convencê-los a mudar de ideia.

Para ele, adotar essa estratégia seria um erro tático.

Na avaliação de Ramos, atrapalhar o andamento da reforma da Previdência retiraria o foco das atenções do episódio que envolve Sergio Moro.

“Vou tentar sensibilizá-los do esforço de blindar a pauta econômica. Até porque eu acho que, taticamente, se a oposição obstruir a reforma da Previdência, ela vai desfocar o tema principal dela hoje, que é a questão desses fatos envolvendo o ministro Sergio Moro”, afirmou.

De acordo com o presidente do colegiado, o cronograma dos trabalhos está mantido -e a apresentação do parecer será nesta quinta.

Após a etapa de discussões sobre o relatório, ele disse acreditar que a matéria será votada pela comissão na primeira semana de julho.

O relator da reforma, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), que participou da reunião com governadores nesta terça-feira em Brasília, também defendeu uma blindagem da proposta.

Moreira afirmou que ainda não bateu o martelo sobre o formato final do texto e que está aberto para ouvir sugestões. Ele, entretanto, sinalizou trechos do texto que podem sofrer alterações.

O relator afirmou que é a favor de manter no texto a autorização para criar um regime de capitalização, mas ponderou que uma decisão final sobre o tema não foi tomada.