02 de julho de 2020

Prefeitura diz que vai antecipar a intensificação da fiscalização de linhas de pipa em Limeira

Determinação acontece um dia após jovem de 20 anos ter o pescoço cortado por linha chilena em rua do Jardim Vista Alegre


Por Renata Reis Publicado 02/06/2020
Foto: Reprodução/ Vídeo

A Secretaria Municipal de Segurança Pública informou a Educadora, por meio de nota, que a intensificação da fiscalização de linhas de pipa chilena ou com cerol será antecipada neste ano devido a suspensão de aulas, que tem levado ao aumento de crianças e adolescentes nas ruas.

De acordo com a secretaria, este tipo de fiscalização é permanente, mas, em reunião com o prefeito Mario Botion (PSD) nesta segunda (1), foi determinada a antecipação. A decisão também acontece após acidente com jovem de 20 anos, neste domingo (31), que teve o pescoço cortado por linha chilena quando passou de moto por rua do Jardim Vista Alegre.

Só no ano passado, a Secretaria de Segurança Pública informou que foram apreendidos aproximadamente 128 carretéis de linhas chilena e de cerol e 11 pipas com o mesmo material.

“Anualmente é realizada uma campanha a partir de julho, mas devido à pandemia, essa intensificação será antecipada para junho, também em virtude da suspensão das aulas”. A secretaria também destacou que é importante que os pais orientem os filhos a não utilizarem esse tipo de material e sempre praticarem essa brincadeira, sem cerol ou linha chilena, em áreas abertas, evitando-se aglomerações. “Além disso, é imprescindível que não soltem pipas em áreas de trânsito ou com fiação elétrica”.

Quando o material é identificado, é feita a apreensão se tratar-se criança/adolescente que esteja usando a linha com cerol/chilena. No caso de estabelecimentos que comercializam esse tipo de produto, além da apreensão, o proprietário é multado.

Quem for flagrado utilizando o material ilegal, see for menor de idade, poderá ser apresentado ao plantão da Polícia Judiciária e elaboração de multa para o responsável do menor. Na reincidência, é autuado em 75 Ufesps. Caso seja comércio e reincidente, além da multa de 75 Ufesps, o proprietário é autuado com suspensão das atividades e pode, inclusive, ensejar a cassação definitiva do alvará de funcionamento.