19 de janeiro de 2020

Prefeitura de Limeira fará contrato emergencial para semáforos e sinalização de trânsito

Atual consórcio entre a Cobrasin e a Sinalizadora Paulista, firmado em outubro de 2016, no valor de R$ 10.734.775,00, será cancelado após denúncias de irregularidades


Por Thayla Ramos Publicado 14/01/2020
Foto: Henry Curcio

Durante coletiva de imprensa no Edifício Prada, realizada na tarde desta terça-feira (14), o prefeito de Limeira, Mario Botion (PSD), anunciou que vai romper três contratos em andamento com a Prefeitura que envolvem o trânsito: semaforização e sinalização de trânsito, processamento de multas e operação de radares.

O primeiro contrato foi firmado com a Cobrasin em maio de 2016 e terminaria em maio deste ano, para processamento das multas aferidas pelos radares, no valor de R$ 1.186.844,00. O segundo contrato é um consórcio entre a Cobrasin e a Sinalizadora Paulista, firmado em outubro de 2016, no valor de R$ 10.734.775,00. O contrato terminaria apenas em abril de 2021. O terceiro contrato é um consórcio entre as empresas Velsis e Sentran, responsáveis pela operação dos radares fixos, no valor de R$ 11.013.99, 84. Firmado em abril de 2016, o contrato venceria em abril deste ano.  

A decisão ocorre após a Rádio Bandeirantes, da qual a Educadora é afiliada, denunciar um suposto esquema envolvendo “indústria da multa” em prefeituras paulistas. As denúncias foram feitas por um suposto funcionário da Cobrasin.

Para evitar que Limeira sofra um colapso nos serviços semafóricos após o cancelamento do contrato, um contrato emergencial será firmado pela Prefeitura de Limeira com uma nova empresa. O contrato terá validade de 180 dias (6 meses), até que a administração pública abra licitação para a contratação definitiva de uma nova empresa. ASSISTA!