12 de novembro de 2019

Morre Monsenhor Gustavo Mantovani, em Limeira

Monsenhor Gustavo Mantovani foi uma referência religiosa a toda comunidade Limeirense e à Diocese de Limeira.


Por Redação Educadora Publicado 18/06/2019

A Diocese de Limeira comunica, com pesar, o falecimento, aos 91 anos, do Monsenhor Gustavo Mantovani, ocorrido nesta tarde de terça-feira (18/06) na cidade de Limeira.

Monsenhor Gustavo Mantovani foi uma referência religiosa a toda comunidade Limeirense e à Diocese de Limeira.

Divulgaremos, logo mais, as informações sobre o velório.

*Monsenhor Gustavo Mantovani (1927 – 2019)*

Nasceu em Descalvado-SP, em 05 de Setembro de 1927. Foi ordenado presbítero em 7 de dezembro de 1952, na Catedral Metropolitana de Campinas. Chegou a Limeira em janeiro de 1960, mesmo ano da criação da paróquia São Benedito, onde permaneceu até hoje.

Trabalhou como Chanceler do Bispado de 1976 a 2009, ano em que se tornou padre Emérito. Mesmo emérito, continuou exercendo seu ministério sacerdotal até 2016, depois foi se afastando das atividades. Ao longo dos seus 66 anos de ministério presbiteral, ele batizou e casou milhares de pessoas, e foi o confessor e conselheiro espiritual para uma multidão de fiéis.

Monsenhor Gustavo deixa um legado de muitas atividades e realizações em prol da evangelização. Trouxe pra Limeira, há 45 anos, o ECC – Encontro de Casais com Cristo; acompanhou, durante muitos anos, o movimento das Equipes de Nossa Senhora; realizou trabalhos midiáticos, escrevendo para os jornais da cidade e gravando programas de rádio e tv; colaborou na formação da Diocese de Limeira, ao lado do Monsenhor Otávio Dorigon, do Pe. Arlindo De Gaspari e do Pe. Sebastião Vasconcelos, além de um incansável trabalho social ao lado dos fiéis da sua comunidade, com destaque para a construção do asilo ‘Recanto dos Idosos Nossa Senhora do Rosário’, na década de 1990. Também foi o fundador do Gasparzinho e do Colégio São Benedito, projetos educacionais pelos quais ele também nutriu imenso carinho.

Filho de José e Maria Dileta (in memorian), deixa os irmãos Gloria, Branca, Laís e Fernando. Seu irmão mais velho, Epaminondas, faleceu recentemente.