17 de setembro de 2019

A inteligência artificial vai comandar os processos de RH?

A forma de contratar, reter e desenvolver profissionais mudou e a tecnologia é a mola que impulsiona todas essas mudanças.


Por Estadão Conteúdo Publicado 30/08/2019

A quantidade de informações circulando no mundo dobra a cada 1 ano e 2 meses. A maneira e os métodos de lidar com o conhecimento mudaram a forma e de conduzir os negócios. Os processos manuais do setor de RH, como tabelas de Excel estão sendo substituídos gradativamente por softwares e ferramentas de Gente e Gestão Digital. A forma de contratar, reter e desenvolver profissionais mudou e a tecnologia é a mola que impulsiona todas essas mudanças.

A questão inquietante é: em um futuro próximo os robôs farão todos processos de Recursos Humanos?

Em sua fala Hegel Botinha, diretor do Grupo Selpe, empresa de atuação nacional que investe em um laboratório de inovação com duas startups focadas em ferramentas e softwares de Gente e Gestão Digital, ressalta; “O profissional de RH será sempre necessário tanto para monitorar os softwares, quanto para garantir sua eficácia, como para identificar pontos e análises que completem e consolide os relatórios de dados e Analytics, esse trabalho de inteligência intelectual que agrupa e ressignifica, os robôs não fazem,” ressalta colocando sua experiência e estudos no diagnóstico sobre o impasse da substituição da mão de obra humana.

Neste momento os dados podem direcionar as melhores decisões (com menos intuição e mais precisão)!

Como transformar dados e referências para tomar decisões estratégicas com mais precisão? De acordo com a pesquisa elaborada em parceria entre o Grupo Selpe e a A3Data (empresa com foco em fornecer serviços de inteligência de negócios através de pesquisas e dados para projetos analíticos), aproximadamente 40% das empresas aumentaram o orçamento na área de RH, comparando os anos anteriores, contudo 66% declararam ainda estar no estágio de “Relatórios Operacionais” Já outras 23%  partiram para a fase do “Business Intelligence” que é a porta de entrada para o People Analytics.

Essa pesquisa lançada agora em 2019 através de um e-book completo sobre o cenário do uso de Inteligência  Artificial e Algoritmos no Recursos Humanos, desenha e revela o cenário atual do uso de tecnologia, do perfil do profissional e de como as organizações estão conduzindo as transformações.

Rodrigo Pereira, COO & Head of People na A3Data, pontua que:

O fator humano ainda é o motor de toda gestão e processos para alavancar os negócios Nos nossos projetos, colocamos o entendimento do ser humano no centro de tudo, pois é ele quem conduzirá a tão desejada transformação. Quando passamos a enxergar a organização como uma coisa só, conectando todas as pessoas aos processos e resultados do negócio, os ganhos são imensos. O nosso propósito na A3Data é empoderar o ser humano por meio dos dados, sem nunca substituí-lo. “

Então a forma de lidar com informações mudaram e o setor de Recursos Humanos se transformou?

Todo setor de Gente e Gestão está se renovando. Recrutar, desenvolver e selecionar e toda gestão dos processos tem se aperfeiçoado com a  incorporação tecnológica. Até mesmo a forma de analisar um currículo mudou. O que se constatou com os altos índices de turnover é que as que pessoas são contratadas pelas suas habilidades técnicas e dispensadas por falta de habilidades comportamentais. Então como analisar essas atitudes tão peculiares ligadas à personalidade?

Através de estudos e pesquisas avançadas que conseguem com o uso do People Analyticspredizer o sucesso de um profissional dentro da organização, realizando “matchs” com a liderança, com a cultura, cargo e com toda equipe.

Algumas perguntas que motivaram essa pesquisa e o impulso que os relatórios em People Analytics trouxeram para todo universo do RH:

– As empresas pretendem investir em People Analytics?
– Qual o perfil do novo profissional de Recursos Humanos?
– As organizações estão maduras e abertas para a tecnologia no RH?

Essas questões, acima foram algumas dentre várias que motivaram a A3Data e o Grupo Selpea investirem na pesquisa. Durante 4 meses aplicamos o formulário para analistas, gestores e líderes da área de Recursos Humanos.

O que antes era intuição agora são informações para auxiliar a tomada de decisões  embasadas em dados. Diante dessa nova forma de vivenciar todo trabalho do setor de Recursos Humanos, empresas focadas em Gente e Gestão, pesquisa e tecnologia começaram a levantar questionamentos sobre como será a condução do processo de trabalho com a inserção de algoritmos, inteligência artificial e Big Data.

Acesse o e-book completo e atual do cenário do People Analytics e da Transformação Digital do RH e saiba como transformar o seu setor  de Gente  e Gestão com dados e ganhar precisão e performance.