20 de novembro de 2019

Varejo aposta na venda de eletroportáteis para o Dia dos Namorados

Itens como celulares, televisores e aparelhos de áudio e vídeo podem ter aumento de 10% nas vendas


Por Estadão Conteúdo Publicado 07/06/2019

Um aumento nas vendas de, no máximo, 10% é o que espera o setor do varejo para o Dia dos Namorados. “O que sustenta os números é a aposta nas vendas dos eletroportáteis, que vêm garantindo o crescimento do setor nos últimos anos”, observa Paulo Sávio, diretor comercial do Banco Semear.

Não é à toa que a linha marrom, caracterizada por itens como celulares, televisores e aparelhos de áudio e vídeo, representa 3,34% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo a Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros). A linha de portáteis registra alta média muito simular no país. No primeiro semestre dos anos anteriores, o índice foi de cerca de 13%, algo em torno de 30 milhões de equipamentos comercializados.

Em contrapartida, a expansão das vendas para a linha branca (eletrodomésticos, como fogão, geladeira e micro-ondas) ocorre de forma mais tímida, em torno dos 2,7%, com 6,72 milhões de unidades vendidas.De acordo com percepções do diretor do Semear, a demanda por móveis e eletrodomésticos é maior em outras sazonalidades, como Dia das Mães, Black Friday e Natal. Fora dessas datas os eletroportáteis têm obtido considerável papel nas vendas.

O banco Semear diagnosticou aumento na demanda dos varejistas desses itens por linha de crédito às vésperas da data comemorativa mais romântica do ano. Em torno de 10% a 15%, mais contratações de Crédito Direto ao Consumidor (CDC) estruturado, em relação ao ano passado. “A modalidade ajuda o varejista a financiar compras, pagar fornecedores, sem abrir mão do seu capital.

Logo, com o aumento da procura por esse nosso produto, percebemos que houve aumento de estoque para a data. Considerando que hoje os estoques são controlados a partir da expectativa de vendas, vemos que o mercado tem expectativa no aumento das vendas em torno dos 10% acima de 2018”, explica Paulo Sávio.

O Dia dos Namorados é o momento para uma leve retomada no varejo, já que o Dia das Mães de 2019 frustrou um pouco em relação ao ano anterior. “O mercado já esperava por isso. O consumidor está resistente devido ao cenário econômico desfavorável.

Em Minas Gerais, há ainda a incidência do fator Vale, desestabilizando muitas empresas da cadeia produtiva nas cidades do interior, gerando desemprego. Basicamente, a situação é a mesma nos grandes centros e no interior. Apenas a região Centro-Oeste do país está menos sensível, porque mantém o nível de emprego alto graças ao agronegócio.”