24 de junho de 2019

Mesmo com Carnaval, Brasil registra alta na venda de veículos em março

Foram vendidas 209,1 mil unidades em março de 2019, número 0,9% maior do que em 2018


Por Thayla Ramos Publicado 16/04/2019
Divulgação

O carnaval é uma data sazonal que modifica o comportamento de vários setores do mercado. Esse, porém, não foi um motivo para que a venda de veículos em março de 2019 diminuísse em relação a 2018. Na verdade, o que se viu foi um aumento, especificamente de 0,9%.

No ano de 2018, o carnaval foi em fevereiro, e o fato de a data ter caído no mês seguinte neste ano fazia crer que o número cairia. Isso, felizmente, não aconteceu. Foram vendidas 209,1 mil unidades em março de 2019, número 0,9% maior do que em 2018.

As informações foram divulgadas pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e descortinam uma expectativa positiva para a venda de automóveis no ano

Setor de automóveis traz bons números
Além do número que vimos anteriormente, ao considerar o acumulado do ano, as vendas entre janeiro e março de 2019 totalizaram 607,6 mil veículos. O resultado é um aumento de 11,4% quando comparado às vendas que ocorreram durante o mesmo período do ano passado, em que o total tinha sido de, aproximadamente, 545.420 unidades comercializadas.

Os diretores da Anfavea disseram que o volume diário de vendas, que superou as 11 mil unidades, foi um fato que não ocorria desde março de 2014, o que é um indicativo de que o mercado está se comportando de maneira muito positiva.

Um detalhe que foi lembrado pelo presidente da associação é que eles trabalham com uma taxa de crescimento anual de 11%. Logo, caso os números se mantenham como no primeiro trimestre, a tendência é de superar as expectativas

A produção de veículos, por outro lado, caiu, o que deve ter acontecido em decorrência do feriado de carnaval. Foram 240,5 mil veículos produzidos, número 10,1% menor que a produção no mesmo mês do ano passado, quando foram fabricadas 267,5 mil unidades.

Ao considerar a produção de todo o ano, porém, é possível notar uma queda de 0,6%, graças aos 695,7 mil carros que foram montados nos três primeiros meses do ano. Outros fatores que podem ter impactado nessa questão, de acordo com o presidente da Anfavea, são as enchentes, que afetaram um dos fabricantes, e a greve que foi instaurada por outro associado.