19 de outubro de 2019

Como as grandes empresas estão buscando a inovação para superar desafios

Empresas como Bradesco, Mercedes-Benz e Nestlé, por exemplo, apostam em programas de aceleração para fomentar o desenvolvimento de novos negócios


Por Estadão Conteúdo Publicado 12/07/2019
Pixabay

O termo empreendedorismo ainda é bastante ligado ao cenário das startups que surgem aos montes no Brasil e no mundo, mas a realidade vai muito além: as grandes empresas também já perceberam que sobreviver em um mercado cada vez mais competitivo exige inovação e práticas empreendedoras. A bola da vez é a chamada aceleração corporativa.

Empresas como Bradesco, Mercedes-Benz e Nestlé, por exemplo, apostam em programas de aceleração para fomentar o desenvolvimento de novos negócios – por meio da interação com startups – ou processos de inovação interna – o chamado intraempreendedorismo. “É um movimento que é ainda incipiente, mas só tem a crescer. Para as grandes empresas, apostar em empreendedorismo traz soluções inovadoras às suas demandas, ganho de produtividade e redução de custos.

Já para as startups ou para as equipes, que interagem por meio dos programas, é uma possibilidade enorme de crescimento. São conexões de muito valor para o ecossistema empreendedor no país”, aponta Nathália Tavares, sócia da Troposlab, empresa pioneira em aceleração corporativa no Brasil.

Com mais de sete anos de atuação no mercado, a Troposlab foi responsável por desenhar programas de aceleração corporativa como o “Incubadora”, da Mercedes, no ano passado, que alavancou 18 projetos, gerando enorme impacto na cultura de inovação da empresa, além de significativa redução de custos. “É um dos cases que gerou maior engajamento e do qual nos orgulhamos muito, porque foi ao encontro à nossa missão de desenvolver empresas, por meio do desenvolvimento de pessoas e projetos”, diz Nathália.