18 de setembro de 2019

Procura por seguros cresce e demonstra preocupação do brasileiro com a insegurança

Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), o Brasil é o país onde a sensação de medo atinge o maior índice


Por Estadão Conteúdo Publicado 16/04/2019

Das 50 cidades mais violentas do mundo, 17 são brasileiras. O reflexo dessa situação está na insegurança, que aumenta ano após ano. Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), o Brasil é o país onde a sensação de medo atinge o maior índice, cerca de 70% dos brasileiros afirmam não se sentirem seguros.

Esses índices, da falta de segurança, influenciam na consciência das pessoas e acabam atingindo também nos cuidados com o patrimônio, tanto de pessoas físicas, como de empresas e setores da indústria. Entre os principais crimes contra o patrimônio praticados no Brasil, estão o roubo ou furto de veículos, roubo de celulares, carteiras, cargas e de instituições financeiras. Conforme dados divulgados em 2016, o número de veículos furtados foi de quase 280 mil e o de roubos passou de 273 mil carros. O número de cargas roubadas chegou perto de 25 mil veículos de transporte. Já as instituições financeiras vítimas de roubos ficaram em torno de 1.500 unidades. Celulares, carteiras e demais roubos giraram por volta de 840 mil assaltos.

Não à toa, o mercado de seguros começou o ano de 2019 com ótimas expectativas. O que se confirma, em certa parte, principalmente para alguns serviços mais específicos e alguns atendimentos especializados. Dentre os serviços que mostraram algum crescimento neste primeiro trimestre estão os seguros de transporte, de responsabilidade civil e, principalmente, os serviços de gerenciamento de riscos.

Segundo Rogério Walmor Cervi, presidente da REP Seguros e membro da  Alarys International Risk Management, os serviços de Gerenciamento de Riscos tem tido uma grande procura e aceitação pelos clientes, seguido pelo Property, que também teve uma participação ativa no que tange novos clientes e crescimento. “Neste início de ano fechamos diversos contratos com empresas que estavam desassistidas a um bom tempo, onde tivemos a oportunidade de ajudá-los a encontrar a melhor apólice para sua necessidade. Isto demonstra a preocupação do empresário com o seu patrimônio, incluindo também a qualidade e a personalização do atendimento da nossa equipe de especialistas”.

Outro fator que influencia é o atual momento político e econômico, que tem movimentado negócios e aumentado significativamente a procura por serviços como o de seguros. Devido a essa procura, de um trabalho especializado e com atendimento personalizado, a demanda de seguros novos cresceu no primeiro trimestre. A insegurança que assola o Brasil e o crescimento do setor corporativo tendem a continuar estimulando o desenvolvimento do setor de seguros, tanto na preocupação com o patrimônio, como nos seguros relacionados diretamente com o bem-estar e a segurança dos brasileiros. O momento é realmente bom para o mercado de seguros e promete melhorar ainda mais.