19 de outubro de 2019

Jovem investidor da Bolsa ganha até R$2 mil por dia como trader

Saiba como é trabalhar no mercado financeiro


Por Estadão Conteúdo Publicado 12/07/2019
Divulgação

Lá em 2007, quando a taxa Selic girava em torno de 11,5% ao ano, ao ler uma matéria sobre Bolsa de Valores na revista Veja e sentir crescer certa curiosidade sobre o assunto, Rafael Tardoque, 34, não imaginava que ganharia a vida como trader. O primeiro passo do investidor foi abrir o home broker do Bradesco onde tinha conta e começar a fazer as primeiras operações de compra e venda em ações. “Nada era como hoje, as informações eram muito escassas e não havia simulador onde fosse possível aprender sem ser realmente na conta real”.

Passados 12 anos, o trader de Itapetininga-SP, é um case de sucesso. Está acostumado a tirar até R$2 mil reais por dia em suas operações, trabalhando com foco das 9h às 12h. Apenas.

O resto do dia ele usa para observar o mercado global, absorver as principais notícias sobre economia, política e sociedade e viver conforme deseja: almoça em casa,  leva e busca os filhos na escola e curte o tempo ao lado da família. Rafael é casado e pai de dois filhos

Rafael reconhece que a maior parte dos brasileiros não tem informação nem o conhecimento adequado sobre finanças. Ele também fazia parte dessa maioria e pra ajudar, não sabia o que era um trader. Mas entendeu que essa profissão poderia ser uma fonte de renda.

Quando começou a operar, ainda trabalhava como cinegrafista e editor. Nessa época, além de não ter dinheiro para investir, não tinha certeza nenhuma se aquela ideia daria certo. “Tive os 2 primeiros anos como trader perdedor, tinha dias bons e dias ruins, porém fechava a maioria dos meses no negativo”, lembra o trader.

Dedicado, Tardoque construiu uma carreira bem completa, tendo começado nas operações de ações, depois nas opções sobre ações. Em 2014, migrou para os mercados futuros de índice e principalmente dólar.

Aprendeu, segundo ele, com a “velha guarda” do mercado financeiro. Seu primeiro curso básico sobre como investir em ações foi na Ancor. Alguns anos depois, conheceu a Interfloat, corretora onde fez o curso de formação de traders e alcançou os melhores scalpers na época do pregão viva voz.

Ainda em 2015, já com muitas habilidades de comprar e vender no mercado financeiro e vontade de aprender ainda mais, participou do primeiro Vida de Trader, um reality show promovido pela Atom, uma mesa proprietária e escola de daytrade, localizada em Sorocaba-SP.
Passou por uma semana de treinamento na sede, quando ainda o principal prêmio não era uma viagem a Nova York com tudo pago para aprender operar em terras estrangeiras. Hoje, é. “Meu segundo filho tinha acabado de nascer quando participei, me marcou. A Atom foi uma experiência incrível pude conhecer traders como eu e a troca foi intensa”, recorda-se.

Para Rafael o trabalho no mercado financeiro é uma questão de decisão. Ele enxerga possibilidade de carreira nessa área para qualquer pessoa interessada. “Acredito que treinando de 3 a 6 meses como aprendizado, ou mesmo uma segunda renda, para daí sim tomar uma decisão de longo prazo [no mercado], é um caminho possível”.

Com profissão e renda garantidas apenas operando como trader diariamente, esse ano Rafael deu passos mais largos, tornou-se empreendedor e mentor da Atom, empresa listada na Bolsa e que contrata pessoas para operar com dinheiro da própria empresa.

A Atom já se tornou referência no mercado por popularizar esse mercado e permitir que pessoas comuns alcancem resultados como os de Tardoque, trabalhando de 2h a 3h por dia, sem riscos.