19 de setembro de 2019

Impacto econômico de acidentes de trânsito em 2018 somaram R$ 96,5 bilhões

Frente a este problema crônico, grandes marcas se reuniram para desenvolver uma solução tendo como desafio reduzir os custos dos cursos de direção segura.


Por Estadão Conteúdo Publicado 26/06/2019

Os gestores de frota do setor agro vivem um drama peculiar: superar o desafio de manter milhares de motoristas em segurança em suas jornadas de trabalho diárias, envolvendo altas quilometragens em estradas perigosas.
Frente aos índices do primeiro semestre de 2018, segundo o Centro de Pesquisa e Economia do Seguro, da Escola Nacional de Seguros, intensificou-se a mobilização dos gestores de frotas para minimizar esse problema.
O estudo global apresentou 19 mil casos de perda da capacidade produtiva, 300 mortos e 20 mil casos de invalidez permanente em decorrência dos acidentes de trânsito. A metodologia calcula o valor correspondente que seria gerado pelo contingente acidentado.

O drama do setor agro

Frente ao crescimento do agronegócio no Brasil, com a expansão de cadeias produtivas agrícolas altamente complexas, os gestores de frotas cada vez mais buscam refúgio na tecnologia.
Para entender o cenário deste segmento, vale destacar os avanços envolvendo a nanotecnologia, biotecnologia, bioeconomia, automação, gestão territorial, uso de matérias-primas renováveis, melhoramento genético, dentre outras.
Este quadro eleva a demanda por técnicos especializados na ponta. São profissionais nos mais diferentes níveis, quer sejam operários, representantes comerciais, tecnólogos, engenheiros, dentre outros.
Vale destacar que a segurança de todos os colaboradores está diretamente relacionada ao nível de monitoramento. “Mas como medir a consciência do motorista?”.Quem faz essa pergunta é uma conceituada gestora de frotas especializada no segmento agro, Yara Amaral.
Como manter seguros tantos profissionais rodando milhares de quilômetros mensalmente? “Apesar de tantas tecnologias, o valor da consciência é insubstituível”, avalia Yara Amaral. Por esse motivo o curso de direção segura Drive for Life, 100% online para veículos leves é uma das soluções que ganha destaque neste segmento.

Grandes Marcas se unem para encontrar solução

Frente a este problema crônico, grandes marcas se reuniram para desenvolver uma solução tendo como desafio reduzir os custos dos cursos de direção segura. Foi daí que nasceu a Startup Drive for Life.
A TSO Brasil, uma das maiores empresas de treinamento e testes automotivos da América Latina, reuniu outras marcas, a exemplo da  Michellin, Instituto Renault e Observatório Nacional de Segurança Viária para juntos, estruturar um curso totalmente online de direção defensiva.
O diferencial do projeto é criar comunidades de alunos em ambiente virtual. O projeto entrega as aulas interativas de forma responsiva, ou seja, cada participante pode assistir as aulas em seu celular ou tablet no melhor horário. Não tem desculpas para não participar.
A empresa que adquirir as licenças poderá criar as turmas e distribuir os cupons para os motoristas que terão acesso aos 10 módulos do projeto. Com essa ferramenta será possível medir a redução dos custos de manutenção, além de evitar multas e acidentes de forma preventiva
Do ponto de vista dos gestores de frota, é possível acompanhar o aproveitamento dos motoristas em um painel de controle, contendo os indicadores para acompanhar o desenvolvimento de cada aluno com notas individualmente.
São soluções eficientes como esta que aparecem para reciclagem e preparação de profissionais que dirigem, inclusive, fazendo frente à rotatividade de colaboradores em setores como o agronegócios.