11 de dezembro de 2019

Estudo revela que viajar sozinho gera maior relaxamento e reflexão

Há muitas décadas, teóricos e cientistas defendem que existem benefícios pessoais em experiências individuais como os intercâmbios de estudantes


Por Estadão Conteúdo Publicado 25/10/2019
Divulgação

Por muito tempo, manteve-se a falsa concepção de que viajar sozinho era algo para introvertidos ou pessoas mais reservadas. No entanto, de acordo com um estudo atual, viagens individuais são crescentes e são consideradas ótimas opções para o revigoramento, levando os viajantes a benefícios reais como autodescoberta, melhores reflexões e maior relaxamento.

De acordo com a professora Constanza Bianchi, da Escola de Negócios da Universidade de Tecnologia de Queensland, na Austrália, que investigou com profundidade o comportamento, existe uma positiva e crescente tendência de viagens individuais. Ela entrevistou uma amostragem de participantes que viajaram recentemente sozinhos e identificou que, embora, a maioria tenha muitos amigos e familiares com quem poderiam ter planejado uma viagem, optaram conscientemente pela experiência de viajar desacompanhados. Bianchi entrevistou esses viajantes para compreender por que eles escolheram embarcar sozinhos e como aproveitaram a viagem.

Surpreendentemente, o estudo demonstrou que esses viajantes individuais não se queixaram por viajarem sozinhos, citando que a experiência foi em vários aspectos muito positiva. Muitos disseram que a decisão de viajar sozinho facilitou o planejamento e permitiu uma agenda totalmente flexível. Além dos aspectos práticos, a viagem solo trouxe aos pesquisados algumas experiências pessoais muito significativas que não teriam adquirido em viagens regulares com parceiros, familiares ou amigos.

“Viajar sozinho também proporcionou a alguns participantes a sensação de que eles tinham maior controle sobre suas vidas e suas ações e ofereceu a alguns participantes a forte possibilidade de reflexão e autodescoberta”, escreve Bianchi no estudo.

De acordo com André Lucas, Diretor Comercial da Assist Med Viagem, empresa especialista na oferta de planos de Seguro Viagem, “não é de hoje que os números de viajantes individuais vêm crescendo. As pessoas estão buscando experiências pessoais que nem sempre são encontradas no ambiente onde vivem ou em atividades que ocorrem em grupo. A oportunidade de viajar sozinho e atrever-se a conhecer outras culturas por conta própria, com ou sem uma programação definida e assim conhecer pessoas de diferentes opiniões e vivências, é algo enriquecedor”.

Há muitas décadas, teóricos e cientistas defendem que existem benefícios pessoais em experiências individuais como os intercâmbios de estudantes, proporcionando a organização dos pensamentos e uma mais completa revisão dos objetivos. Outra vantagem citada pelos participantes do estudo de Bianchi é também uma antiga expressão popular:”quer realmente conhecer a si mesmo, passe algum tempo sozinho”, longe de outras pessoas. Aparentemente, a melhor opção para se encontrar uma nova perspectiva é aventurar-se por cenários desconhecidos ou novos, como são os destinos internacionais.