16 de setembro de 2019

Ele mata fome e sede de animais de rua fazendo comedouros de PVC

Marcos Silva Fiúza transforma canos de PVC em comedouros e bebedouros.


Por Redação Educadora Publicado 21/04/2019

Um brasileiro de 36 encontrou uma forma criativa e barata para alimentar animais sem dono, que passam fome e sede nas ruas de Casa Branca, interior de São Paulo.

O agente socioeducativo Marcos Silva Fiúza transforma canos de PVC em comedouros e bebedouros.

Ele faz o kit e a instalação de graça. Marcos só pede a doação dos materiais.

A ideia de ajudar os animais de rua foi da ex-esposa dele, que viu algo parecido na internet e fez a sugestão.

“Fiz um na frente de casa, aí algumas pessoas viram e gostaram. Em Casa Branca, tem muitos cachorros na rua e muitas pessoas cuidam deles, aí eu resolvi colocar a ideia em prática”, contou Fiúza.

Muitas empresas entraram em contato com o agente socioeducativo para colocar um comedouro e bebedouro em frente aos estabelecimento.

Reprodução (Arquivo Pessoal)

Como

Marcos ensina como fazer o kit de comedouro e bebedouro.

Os ítens necessários são:

  • um metro de cano PVC de 100 milímetros
  • quatro cotovelos
  • duas tampas
  • quatro abraçadeiras
  • oito parafusos com bucha e
  • cola de cano

Os materiais juntos ficam em torno de R$ 70.

“Não tenho como personalizar porque fica caro, mas se a pessoa quiser é só comprar um spray que eu mesmo faço. A gente faz na cor do comércio, com fotinho de cachorro, como a pessoa preferir. O spray custa uns R$ 20”, disse.

Instalação

Marcos oferece o serviço de graça. É só a pessoa interessada levar o material que ele faz o kit e instala em frente da casa ou de estabelecimento comercial.

“Na verdade mesmo eu não queria nem colocar nada para os cachorros na rua. Queria que não existisse cachorro na rua, mas infelizmente existe o abandono então meu projeto é não deixar eles com fome e sempre ter alguma coisa para comer”, explicou.

Marcos sonha em ter um abrigo para cuidar dos bichinhos sem dono e diz que faz tudo isso porque sabe bem o que é passar fome.

“Eu penso como se eu fosse um cachorro, já tive fome e sei como é, então me coloco no lugar deles, com fome, sem nada para comer, andando para lá e para cá, com pessoas batendo as portas na cara deles”.

Com informações do G1