03 de junho de 2020

“Que Bolsonaro não se meta nas investigações”, diz viúva de Marielle

Assassinato completa 600 dias


Por Redação Educadora Publicado 06/11/2019
Reprodução

Seiscentos dias após a morte de Marielle Franco no Rio de Janeiro, a mulher da vereadora, Mônica Benício rompeu o silêncio em meio a amargura de passar todo esse tempo se perguntando quem matou e quem mandou matar sua companheira.

Nos últimos dias, as cobranças da viúva de Marielle passaram a incluir uma nova perícia no áudio do porteiro do condomínio Vivendas da Barra e dois nomes: Jair Bolsonaro e Sergio Moro. E elas disparou em entrevista à Revista Época: “Que Bolsonaro não se meta nas investigações”.