19 de outubro de 2019

Laudo da Vale aponta para risco de ruptura de barragem em Minas

Mina Gongo Soco, em Barão de Cocais, na região central de Minas, pode sofrer deslizamento


Por Estadão Conteúdo Publicado 17/05/2019

Documento emitido pela mineradora Vale afirma que a Mina Gongo Soco, em Barão de Cocais, na região central de Minas, pode sofrer deslizamento entre o próximo domingo e o sábado, dia 25. O principal temor da Defesa Civil estadual é de que o colapso da estrutura cause um abalo sísmico e o rompimento da barragem Sul Superior, que armazena rejeito de minério de ferro.

Segundo o documento, obtido pelo Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG), uma deformação já foi identificada no talude ao norte da mina. Essa é uma estrutura feita de escadarias de grandes proporções formadas ao redor da cava, onde o minério de ferro é extraído.

A deformação, afirma a Promotoria, pode provocar a ruptura do talude. Como consequência, o abalo provocaria uma vibração no solo capaz de ocasionar a liquefação da barragem de minérios. O rompimento dessa estrutura levaria a “danos sociais e humanos imensuráveis para a região”, de acordo com o MP-MG.

A barragem foi colocada em alerta máximo de rompimento em 22 de março. Moradores que estão muito próximos à represa e não teriam condições de fugir para local seguro, na chamada área de autossalvamento da barragem, foram retirados de suas casas em 8 de fevereiro.

Gatilho
A Vale afirmou que “não há elementos técnicos até o momento para se afirmar que o eventual escorregamento do talude Norte da Cava da Mina Gongo Soco desencadeará gatilho para a ruptura da Barragem Sul Superior” e que, “mesmo assim, a Vale está reforçando o nível de alerta e prontidão para o caso extremo de rompimento”.

Ainda segundo a mineradora, “adicionalmente, a Vale intensificará a veiculação de informações em rádios da região e por meio de panfletagem”. Além disso, um novo simulado de evacuação será realizado neste sábado, dia 17. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.