26 de fevereiro de 2020

Governo de SP anuncia verba emergencial de R$ 20 milhões para recuperar danos após enchentes

Estado pedirá repasse de R$ 350 milhões à União para construir cinco novos piscinões na região metropolitana da capital


Por Redação Educadora Publicado 14/02/2020
SÃO PAULO, SP, 10.02.2020 – CHUVA-ALAGAMENTO-SP – Ponto de alagamento causado pela chuva na marginal do rio Pinheiros, na capital paulista, nesta segunda-feira (10). A grande quantidade de água está causando vários alagamentos, engarrafamentos e interrupção de linhas de trem da CPTM nas cidade de São Paulo e Osasco. (Foto: Antonio Cicero/Photo Press/Folhapress)

O Governador João Doria divulgou nesta sexta-feira (14) o balanço e ações para mitigar os efeitos das chuvas e enchentes que atingiram São Paulo na última segunda-feira (10). O Governo do Estado vai liberar R$ 20 milhões para obras de recuperação em cidades mais afetadas pelas inundações que ocorreram na região metropolitana da capital e também no interior.

“Após reunião com a Defesa Civil, nós liberamos R$ 20 milhões para o atendimento às cidades que foram mais atingidas pelas chuvas na região metropolitana e no interior, além de outras iniciativas de ordens estruturantes que estão sendo adotadas na capital e demais cidades juntamente com os prefeitos”, afirmou Doria.

Há demandas para obras de recuperação em Botucatu (três pontes), Araçariguama (cinco pontes), Porangaba (quatro pontes) e Capivari (galeria pluvial e pavimentação). Os valores serão apurados pelas prefeituras para análise técnica e viabilidade de convênio com o Estado.

Na próxima semana, Doria irá a Brasília e pedirá à União o repasse, a fundo perdido, de R$ 350 milhões para construir cinco novos piscinões na Grande São Paulo. “Obras de piscinões são caras, longas e precisam de financiamento federal”, afirmou o Governador. “Os piscinões representam, estruturalmente, a única forma efetiva de minimização de enchentes. Tenho certeza que o governo federal não vai virar as costas aos brasileiros de São Paulo”, acrescentou.

A Defesa Civil do Estado foi notificada pelas prefeituras de Botucatu, Laranjal Paulista, Taboão da Serra, Bofete e Osasco sobre possível decretação de situação de emergência. O Estado homologou sumariamente o status de Botucatu. Pirapora do Bom Jesus, Cotia, São Paulo, Tietê e Itaquaquecetuba ainda avaliam danos para decidir efetivamente se decretarão situação de anormalidade ou não.

O Governo de São Paulo enviou material de ajuda humanitária (kits de limpeza, higiene e vestuário, lonas plásticas, cestas básicas e colchões) para os municípios de Araçariguama, Carapicuíba, Itapevi, Itaquaquecetuba, Itariri, Peruíbe, Pirapora do Bom Jesus, Salto, Taboão da Serra, Botucatu, Guarujá e Lins. No total, foram 5.649 itens (22 toneladas), no valor de R$ 186,6 mil.

A Defesa Civil também esteve com técnicos do Instituto Geológico e do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) nos municípios de Osasco, Botucatu, Mairiporã, Pirapora do Bom Jesus e Lavrinhas para vistorias nas áreas mais atingidas. As autoridades locais foram informadas sobre a documentação necessária para decretar situação de anormalidade e homologação do Estado.

Até a manhã desta sexta, o Governo de São Paulo contabilizou 240 pessoas desabrigadas, 2.053 desalojadas e 7 mortes:

  • Araçariguama: cinco desalojados, 20 desabrigados e uma morte;
  • Barueri: três desalojados;
  • Botucatu: 125 desalojados, 30 desabrigados e quatro mortes;
  • Cabreúva: oito desalojados, sete desabrigados e uma morte;
  • Carapicuíba: 65 desalojados;
  • Capivari: 14 desalojados e 27 desabrigados;
  • Cubatão: dois desalojados;
  • Jandira: 32 desalojados;
  • Jaú: cinco desabrigados;
  • Juquiá: três desalojados;
  • Itapevi: cinco desalojados;
  • Itaquaquecetuba: 223 desalojados e 28 desabrigados;
  • Itu: três desabrigados;
  • Guarulhos: 350 desalojados e 45 desabrigados;
  • Mairiporã: 23 desalojados;
  • Marília: uma morte;
  • Osasco: 1.084 desalojados e 48 desabrigados;
  • Peruíbe: 14 desabrigados;
  • Pirapora B. Jesus: 17 desalojados e cem desabrigados;
  • Ribeirão Pires: quatro desalojados;
  • São Bernardo: 43 desalojados;
  • Salto: oito desabrigados;
  • Santana de Parnaíba: 32 desalojados e 16 desabrigados;
  • Taboão da Serra: 32 desalojados.

 

Desenvolvimento Social

O Acolhe SP, da Secretaria de Estado da Desenvolvimento Social, é um programa de proteção social que atende municípios que declaram situação de emergência ou estado de calamidade pública. São ações voltadas à redução dos impactos, auxílio à população afetada e atendimento psicossocial de vítimas de inundações e seus familiares.

Fundo Social

O Fundo Social de São Paulo entregou 101 caixas de roupas, cem colchões, 250 cobertores, 160 caixas de alimentos e cem garrafas de suco para os municípios de Araçariguama, Itaquaquecetuba, Laranjal Paulista e Taboão da Serra. O auxílio é feito por meio da Defesa Civil do Estado, que encaminha às necessidades de atendimentos durante as ocorrências.

Doações às vítimas podem ser entregues no depósito do Fussp (Av. Marechal Mário Guedes, 301 – Jaguaré – São Paulo/SP), de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.