20 de agosto de 2019

Cão-bombeiro que morreu afogado é homenageado com tatuagem

Tutor do cão-bombeiro Barney, que participou das buscas em Brumadinho (MG), decidiu fazer uma tatuagem do animal


Por Folhapress Publicado 17/05/2019
Foto: Reprodução

Quem já perdeu um animal de estimação sabe como é a dor. Para amenizar a saudade, o tutor do cão-bombeiro Barney decidiu fazer uma tatuagem do animal.

O labrador morreu no dia 3 deste mês, durante operação de busca a uma pessoa desaparecida na região de Içara, em Santa Catarina. Ele pulou em um rio, possivelmente para indicar algo suspeito, e não voltou à superfície. Seu corpinho foi encontrado dois dias depois.

“Para sempre eternizado, junto ao meu coração”, escreveu em rede social o companheiro de trabalho e tutor, soldado Luciano Rangel, ao mostrar o desenho da carinha do cachorro, feito no braço.

Barney, que atuava como cão de busca e resgate, tinha três anos e era experiente. Atuou, entre outras missões, nas buscas por vítimas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG) -e indicou vários soterrados, dizem os bombeiros.

Rangel cuidava do cachorro desde pequeno. Segundo os bombeiros do estado, a partir do momento em que o condutor assume a função, passa a conviver 24 horas com o animal, em família, e se compromete com treinamento diário.