16 de setembro de 2019

Walter explica decisão de sair do Corinthians: ‘O Cássio aqui é um monstro, né?’

O jogador, no entanto, evita falar sobre o futuro


Por Estadão Conteúdo Publicado 04/04/2019
O goleiro Walter disse que acertou em janeiro com a diretoria a não renovação do contrato com o Corinthians para a próxima temporada. A informação já sobre a futura saída, no entanto, só veio a público há quase duas semanas, quando seu empresário Julio Fressato e os dirigentes do clube informaram aos jornalistas.

Desde a veiculação da notícia, o reserva imediato de Cássio teve duas oportunidades de mostrar o seu futebol e chamar a atenção de um possível clube interessado. Na quarta-feira, na derrota para o Ceará por 1 a 0, ele não segurou o cabeceio de Roger, mas contribuiu para o time paulista avançar na Copa do Brasil com duas grandes defesas.

“Estava comentando com os companheiro tomando banho no vestiário Estou com um calo dolorido no pé que me incomoda. Aqueci pouco, entrei no susto. Mas mesmo tomando gol, tinha essa gordurinha para queimar e saímos classificados”, comentou.

Walter entrou aos 18 minutos do segundo tempo por causa da expulsão de Cássio. O goleiro titular colocou a mão na bola fora da área para consertar um recuo errado de Ralf e levou o cartão vermelho.

O reserva, sem tempo para se aclimatar com a partida, viu logo o Ceará acertar uma bola na trave. Depois, veio o gol de Roger. Se deixasse passar mais um, a decisão iria para os pênaltis. Walter então foi fundamental ao pegar um chute de fora da área no canto esquerdo e outra bola de cabeça no direito.

“Tem de estar preparado para ajudar. O Fagner e o Vagner (Love) estavam cansados, o time todo estava exausto. Todos precisavam dessa ajuda e acabei entrando e contribuindo”, disse. “Na bola que bateu na trave, vi a bola depois que passou do Marllon. Nem toquei nela. Com o campo mais duro a bola sai mais rápida e dificulta. Mas depois pude dar minha parcela. Não vinha jogando. Foi benéfico”, declarou.

SEM PROPOSTAS – O jogador, no entanto, evita falar sobre o futuro. Segundo ele, não há propostas ainda. Ao ser questionado se a diretoria facilitaria a sua saída ainda neste ano, respondeu. “A seis meses do fim do contrato, posso assinar um pré-acordo sem multa. Se tiver alguma coisa boa para os dois é válido. Sempre dei minha vida aqui trabalhando, me dedicando. Mas por enquanto não tem nada”, comentou.

“Para mim, como o Duílio (Monteiro Alves, diretor de futebol) disse, saio para mostrar meu futebol por mais tempo. O Cássio aqui é um monstro, né?. O que ele fez e faz pelo Corinthians.. Vou buscar meu espaço. Seguir em frente”, comentou.

A saída anunciada, segundo ele, em nada muda a dedicação nos treinos e a relação com dirigentes e companheiros de equipe. “A gente teve conversa em janeiro sobre a não renovação. Mas estou com minha cabeça aqui. Não teve proposta não teve nada, então a gente trabalha. Todo mundo me conhece aqui, estou há seis anos no clube, não preciso mais ficar provando nada no dia a dia. Estou para ajudar aqui”, justificou.

Walter foi contratado pelo Corinthians em 2013. Nesse período disputou apenas 74 partidas e sofreu 61 gols, sendo bicampeão brasileiro. Há dois anos, chegou a ser especulado no São Paulo, mas o negócio não foi adiante.

O motivo de ter ficado tanto tempo no clube entre os reservas, ele diz que tem relação também com a estabilidade. “Estamos em uma equipe grande, tem o respaldo financeiro que nossa família precisa. Claro que fica triste por não renovar. Mas sou muito grato ao Corinthians pelo que tenho e conquistei”, finalizou.