18 de fevereiro de 2020

Soteldo diz que temeu cláusula no contrato e celebra permanência no Santos

Soteldo afirmou que nunca quis deixar o Santos, mas temeu precisar sair do clube


Por Folhapress Publicado 13/02/2020
Ivan Storti/Santos FC

O atacante Yeferson Soteldo comemorou nesta quinta-feira (13) sua renovação de contrato com o Santos até o fim de 2023, anunciada dois dias antes. O clube rejeitou uma oferta de R$ 51 milhões do Atlético-MG e aumentou o salário do venezuelano para mantê-lo na Vila Belmiro.

Soteldo afirmou que nunca quis deixar o Santos, mas temeu precisar sair do clube por causa da cláusula que, segundo o Huachipato (CHI), obrigaria o Santos a comprar imediatamente os 50% dos direitos econômicos do jogador que ainda pertencem aos chilenos por US$ 6 milhões. O clube alvinegro alega que tem até o fim do vínculo de Soteldo para acertar o valor.

“Ele (José Carlos Peres, presidente do Santos) me deu sua palavra que acertou. Com isso, eu fiquei tranquilo e pude renovar por um ano mais com o clube para seguir desfrutando e dando alegria ao torcedor do Santos. Minha decisão sempre foi ficar aqui. São outras coisas que tenho que conversar com meu outro clube, o Huachipato (CHI). Sempre disse que, por mim, ficava, mas era necessário acertar a dívida com o Huachipato, não comigo. Não sei o que dizia o contrato e por isso estava preocupado.”

Em entrevista ao UOL Esporte, Soteldo já havia esclarecido que não tinha intenção de deixar o Santos e pediu para que Peres “cumprisse as responsabilidades econômicas” necessárias para sua permanência.

O Santos devia uma comissão aos empresários do jogador pela negociação, além do Huachipato afirmar que a equipe da Vila Belmiro não pagou nada dos US$ 3,5 milhões (cerca de R$ 13 milhões) que acertou para comprar 50% dos direitos econômicos do venezuelano. O time alvinegro nega tal dívida e afirma que o pagamento foi acertado em três parcelas, sendo que a primeira já foi paga e as outras duas ainda não venceram.