15 de agosto de 2020

Clubes de SP voltam a treinar em meio a incertezas do calendário

Apesar do sinal verde para a volta aos trabalhos no campo, o retorno do Campeonato Paulista ainda é uma incógnita


Por Folhapress Publicado 01/07/2020
Foto: Pixabay

Os clubes da Série A-1 do Campeonato Paulista retomaram nesta quarta-feira (1º) os treinos com bola, após aprovação do governo estadual, em mais um passo rumo ao retorno do futebol profissional em São Paulo.

Na semana passada, as equipes realizaram testes de covid-19 nos elencos e iniciaram trabalhos físicos com os atletas, seguindo o protocolo sanitário apresentado pelos clubes e pela FPF (Federação Paulista de Futebol) às autoridades governamentais do estado.

Apesar do sinal verde para a volta aos trabalhos no campo, o retorno do Campeonato Paulista ainda é uma incógnita. E não só com relação à própria conclusão do torneio, interrompido faltando seis rodadas para o fim (duas da primeira fase e quatro do mata-mata), mas com possíveis implicações no calendário nacional.

A CBF anunciou na última quinta-feira (25) a intenção de iniciar o Campeonato Brasileiro em agosto. A primeira divisão começaria no dia 9, e a Série B, no dia 8. Nesta quarta, representantes dos 20 clubes da Série C nacional encaminharam um documento à CBF pedindo que a terceira divisão também retorne na mesma semana.

Dez clubes da elite do Paulista estão envolvidos nas Séries A, B e C do Nacional. A falta de unidade política no combate à pandemia do novo coronavírus, em que estados e municípios têm autonomia para colocar em prática as suas próprias medidas, também contribui para esse cenário de incertezas.

No Rio de Janeiro, a bola já está rolando em jogos do torneio local há duas semanas, após processo de retomada liderado por Flamengo e Vasco. Em Minas Gerais, a federação local previa o reinício do Campeonato Mineiro em 26 de julho, o que foi vetado pelo governo estadual, que não aprovou o protocolo sanitário apresentado por clubes e federação.

Quem também viu seu plano frustrado pelas autoridades foi a FGF (Federação Gaúcha de Futebol). A ideia da entidade era reiniciar o estadual em 19 de julho. Porém, o governador Eduardo Leite (PSDB) brecou as intenções da federação e, apesar de elogiar o protocolo sanitário elaborado para a volta do campeonato, disse que “o retorno do futebol não é uma prioridade”, o que deverá forçar o adiamento da data prevista para a retomada.

Após a declaração do governador, o Grêmio informou que passará a treinar em Criciúma, Santa Catarina, onde há menos restrições de atividades. Porto Alegre voltou a entrar na chamada “bandeira vermelha”, estágio com medidas mais rígidas de isolamento -incluindo o fechamento de clubes esportivos- no qual permanecerá pelas próximas duas semanas.

São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais possuem 12 clubes na Série A do Campeonato Brasileiro, mais da metade dos participantes. Na Série B, esses quatro estados têm oito equipes na disputa.

A reportagem apurou que os clubes paulistas trabalham com a possibilidade de o Estadual reiniciar na primeira quinzena de agosto. A definição depende da retração da doença e da autorização do governador João Doria (PSDB).

Se o prazo for encurtado, eles esperam que tenham ao menos um mês de treinos com bola antes de voltarem a campo para partidas oficiais.

Em audiência realizada por videoconferência na terça-feira (30) entre FPF, governo estadual, Ministério Público do Trabalho e a desembargadora Ana Paula Pellegrina Lockmann, do TRT-15 (Tribunal Regional do Trabalho), os clubes e a federação se comprometeram a apresentar o protocolo para a volta gradual dos jogos até o próximo dia 7.

Eles esperam entregar o documento até o início da próxima semana, a fim de dar mais tempo de análise às autoridades e acelerar o processo.

A desembargadora Lockmann, então, agendou com as partes uma nova audiência para o dia 13 e deverá determinar a aprovação ou não deste protocolo referente ao retorno das partidas no estado de São Paulo.

Quem ainda aguarda liberação do governo para retomar os treinos com bola é o Botafogo-SP. Isso porque a cidade de Ribeirão Preto é o epicentro da covid-19 em sua região, que se encontra na Fase 1 do “Plano São Paulo”, o programa de reabertura econômica do governo estadual durante a pandemia.

Nesse estágio, atividades consideradas não essenciais estão impedidas de serem retomadas. Dessa forma, a equipe teria de treinar em algum outro município que esteja ao menos na Fase 2, que já permite reabertura gradual do comércio, por exemplo.

Nesta quarta, o elenco do Botafogo-SP realizou apenas trabalhos físicos e agora espera aval da prefeitura de Ribeirão Preto e do governo para iniciar os treinamentos com bola. Nesta quinta (2) de manhã, está prevista uma atividade online para os jogadores.