11 de dezembro de 2019

Neymar viaja para jogar pelo PSG na China ainda com destino indefinido

Na China, Neymar já tem nas primeiras horas compromissos comerciais com a Nike, sua patrocinadora


Por Estadão Conteúdo Publicado 23/07/2019
Foto: Gustavo Gomes/Agência Brasil

As ameaças, os avisos e os pedidos de Neymar para deixar o Paris Saint-Germain ainda não funcionaram. Nesta terça (23), o atacante embarca para a China como jogador do clube francês na pré-temporada. Por lá, tem eventos de marketing a cumprir e a presença já garantida pelo treinador, Thomas Tuchel, no amistoso contra a Inter de Milão, no sábado (27).

Em solo asiático, o brasileiro ainda aguarda pela desejada transferência ao Barcelona e vai testar o clima com um elenco que anseia pelo desfecho da situação. A janela internacional de transferências vai até o dia 31 de agosto.

A princípio, Neymar fez planos para nem participar da preparação do PSG para a temporada. Se apresentou com uma semana de atraso -alegação foi a de ter um acordo com o ex-dirigente do clube, o português Antero Henrique- e comunicou a todos no clube o desejo de sair. Alguns, mais próximos, ainda ouviram frases fortes, como “nunca mais piso em Paris”, quando o jogador deixou a cidade para ir ao Brasil, em maio.

Neymar não alcançou o objetivo desejado, mas voltou ao clube com comportamento pacífico. Uma estratégia para não irritar os dirigentes na busca para que uma oferta seja aceita -o sonho é o Barcelona, mas nos últimos dias outros clubes também aparecem no noticiário como possíveis destinos.

Na China, Neymar já tem nas primeiras horas compromissos comerciais com a Nike, sua patrocinadora e a fornecedora do material esportivo do PSG. O encontro com os cabeças da Accor Hotel, a nova patrocinadora master do clube, também carrega a impressão de ser mera formalidade.

O PSG ainda tem cuidado na exposição da imagem de Neymar como jogador do clube. Nas ações criadas para divulgar a turnê pela China, que termina dia 4 de agosto, ele sequer apareceu.

Neymar teve a presença na China informada pelo diretor esportivo do PSG, Leonardo, assim que voltou das férias. Já a decisão de estar em campo pelo PSG coube a Tuchel.

“Vai jogar com a gente. Ele é meu jogador e quero que fique”, disse o treinador no final de semana. “O PSG não é só o Neymar. É claro que ele é um grande jogador, mas estamos aqui todos impacientes para saber o que vai passar com ele”, alertou o meia alemão Julian Draxler.

Oficialmente, o Barcelona diz que não trabalha com a contratação de Neymar. Já o PSG informa não ter nenhuma proposta pelo jogador formalizada. Enquanto isso, o estafe do brasileiro garante que ele não quer deixar o clube francês.