23 de setembro de 2019

Cássio admite dúvida sobre o Flu após saída de Diniz: ‘não sabemos como eles vêm’

Corinthians e Fluminense jogam nesta quinta-feira (22), às 21h30, no Itaquerão, na primeira partida pelas quartas de final da Copa Sul-Americana; Educadora transmite a partida, ao vivo, com a equipe Transamérica


Por Danilo Janine Publicado 22/08/2019
Divulgação/Corinthians

O goleiro Cássio admite que a demissão do técnico Fernando Diniz do Fluminense, rival do Corinthians nesta quinta-feira (22), pelas quartas de final da Copa Sul-Americana, traz dúvidas sobre a preparação tática para o jogo das 21h30, na Arena Corinthians

“A gente não sabe exatamente como eles vão vir. Vamos tentar nos preparar para todas circunstâncias, de repente uma equipe que mantenha o padrão. É muito recente, a gente fica nessa incógnita de como o Fluminense vai vir. O Fábio vem falando bastante sobre isso, sobre como preparar”, admitiu Cássio, em entrevista coletiva na tarde dessa quarta-feira, no CT Joaquim Grava. O Fluminense anunciou a contratação de Oswaldo de Oliveira, mas o clube será dirigido na quinta-feira pelo auxiliar Marcão.

Depois da conquista de quatro títulos de Paulistão (2013, 2017, 2018 e 2019), dois do Brasileirão (2015 e 2017), uma Copa Libertadores (2012), uma Recopa (2013) e um Mundial (2012), o goleiro afirma que a conquista da Sul-Americana teria um sabor diferente. “É um confronto muito difícil com o Fluminense. Almejo ganhar a Sul-Americana, assim como Brasileiro, e ano que vem quero brigar por Copa do Brasil, que não ganhei ainda. Mas não é falando que se ganha, é trabalhando”, afirmou o goleiro.

“A gente não pode se cobrar, achar que tem que ser agora, todo ano tem campeonato. Quero ganhar, vencer todos, mas é jogo a jogo. Temos que respeitar o Fluminense e fazer um grande jogo. É naturalmente, mas vamos lá, se fizermos tudo certinho, quem sabe não podemos chegar?”, indagou.

Cássio descarta priorizar a Sul-Americana por causa da proximidade com a final. “Sul-Americana é mata-mata, não podemos apostar só nela. É uma reta final, um campeonato que a gente não tem, eu nunca ganhei, mas é passo a passo nos dois campeonatos. Pés no chão, ir evoluindo. Antes da Copa América, a gente tinha mudado muitos jogadores, hoje eles dominam a parte tática, têm entrosamento bom, às vezes entram uns que não têm tanta oportunidade e mantém o nível”, afirmou o goleiro.

Depois de 426 partidas, ele é o segundo goleiro que mais atuou pelo clube, atrás apenas de Ronaldo Giovanelli, com 602. Aos 32 anos, ele diz que não consegue cravar que vai se aposentar no clube, mas já faz planos a longo prazo.

“Que eu saiba não chegou nenhuma proposta para mim. Mas estou há oito anos aqui, ganhando títulos. Me sinto feliz neste ambiente de trabalho, muito contente, não sei se vou ficar para sempre… Uma das minas metas é bater recordes no Corinthians, óbvio que quero bater o recorde do Ronaldo. Minha admiração por ele é enorme, não quero fazer comparações. Estou muito feliz, quero fazer o melhor a cada dia e não penso como será lá o futuro”, disse o goleiro corintiano.

FLUMINENSE

Oswaldo de Oliveira só será apresentado no Fluminense na segunda-feira (26), mas o treinador já acompanhou o treino de quarta-feira (21) e até sugeriu mudanças na equipe, que vai enfrentar o Corinthians, nesta quinta-feira.

“Ele já ajudou um pouco no treinamento para o jogo da Sul-Americana, já está contribuindo”, disse o auxiliar técnico Marcão, que vai dirigir o time na Arena Corinthians, durante entrevista coletiva.

Oswaldo quer um time mais experiente e por isso planeja utilizar Nenê e Wellington Nem nos lugares de João Pedro e Marcos Paulo. “A gente quer dar um pouco mais de segurança ao time, espero que a gente consiga já nesse jogo”, afirmou Marcão.

Com isso, uma formação provável para o Fluminense encarar o Corinthians: Muriel; Igor Julião, Nino, Digão (Frazan) e Caio Henrique; Allan, Daniel e Ganso; Nenê, Wellington Nem (Marcos Paulo) e Yony González.

“O Oswaldo pra gente é uma pessoa especial, amigo. Profissionalmente um vencedor, tem muita coisa pra contribuir. Eu tenho certeza que os meninos vão aproveitar bastante”, disse Marcão, que teve a companhia do novo treinador ao lado em boa parte do treinamento.

O técnico interino também elogiou o trabalho de Fernando Diniz, demitido na última segunda-feira. “Nosso primeiro encontro foi muito bom, o Oswaldo se faz entender rápido. Do Diniz vamos aproveitar tudo. Vamos dar continuidade no projeto que o Diniz começou, remodelando com o que Oswaldo pensa”.

Para comentar da boa relação com Oswaldo, Marcão lembrou do período em que foi dirigido pelo treinador. “Foi uma experiência maravilhosa na minha vida, eu era atleta e o Oswaldo me ensinou demais. Em termos de grupo, de vestiário, vão ter momentos que os meninos vão correr por ele. Eu tenho certeza que vamos levar coisas valiosas já para o jogo contra o Corinthians.”

Apesar de estar nas quartas de final da Sul-Americana, o Fluminense faz péssima campanha no Campeonato Brasileiro e está na 18ª colocação, à frente apenas de CSA e Avaí. Mas Marcão projetou a recuperação com a chegada de Oswaldo.

“A gente está numa posição no Brasileiro que todos têm consciência de que não é nossa. O jogo do Fluminense é extremamente bonito, com 60, 70% de posse de bola e a gente não vai abrir mão disso. O Oswaldo vai trazer a segurança para os nossos atletas”, completou Marcão.

A Educadora transmite a partida entre Corinthians e Fluminense, ao vivo, direto do Itaquerão, com a equipe Transamérica.