18 de agosto de 2019

Ceni, Muralha e Luxemburgo apoiam Sidão; veja manifestações

Rogério Ceni relembrou as críticas das quais foi alvo em 2004, quando foi vaiado no Pacaembu


Por Folhapress Publicado 14/05/2019

Vários ex-atletas, técnicos e entidades se manifestaram em apoio a Sidão após o episódio de constrangimento no prêmio entregue ao goleiro pela Globo no domingo (12), quando o Vasco perdeu para o Santos por 3 a 0 e ele teve uma atuação ruim.

Em entrevista à ESPN Brasil, Rogério Ceni relembrou as críticas das quais foi alvo. Ceni era o técnico do São Paulo em 2017 e pediu a contratação de Sidão.

“Em 2004, eu fui vaiado no Pacaembu, no mesmo estádio em que ele jogou. Depois de um erro meu em um clássico contra o Palmeiras. Eu e o Luis Fabiano fomos muito vaiados naquele jogo”, disse Ceni.

A partida aconteceu em 27 de junho daquele ano, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na ocasião, o Palmeiras venceu por 2 a 1, contando com uma falha de Rogério Ceni: na cobrança de falta de Pedrinho, o goleiro soltou a bola na frente de Vagner Love, que fez o gol.

“O mundo do futebol dá voltas. Um ano depois, nós fomos campeões paulistas, campeões da América, campeões do mundo… E seguiu com os Brasileiros em 2006, 2007 e 2008”, lembrou o ex-goleiro. “Todos nós estamos sujeitos a dias ruins”, completou.

Atualmente no Coritiba, o goleiro Muralha também passou por situação semelhante quando defendia o Flamengo e foi alvo de pesadas críticas da torcida.

“Eu passei por isso, e apesar das feridas já terem cicatrizado, ainda carrego um pouco do que aconteceu em um passado recente. Fui tratado por algumas pessoas como bandido, um linchamento que quase colocou minha vida e minha carreira em risco, a ponto de eu ter tido dificuldades de sair de casa”, escreveu Muralha nas redes sociais.