18 de novembro de 2019

São Paulo faz acordo para pagar R$ 30 milhões para Ricardinho até 2023

O acerto deve ser oficializado até o final da semana, e afastará o risco de bloqueio integral de R$ 35 milhões nas contas do clube


Por Folhapress Publicado 04/11/2019
Divulgação/saopaulofc.net

O São Paulo fez um acordo para pagar R$ 30 milhões às empresas RES Empreendimentos e Participações e Time Traveller Turismo. O valor é de uma dívida pela contratação do meia Ricardinho do rival Corinthians em 2002 e será diluído ao longo dos próximos quatro anos, com pagamentos até o final de 2023.

O acerto deve ser oficializado até o final da semana, e afastará o risco de bloqueio integral de R$ 35 milhões nas contas do clube, o que poderia comprometer seu dia a dia.

As negociações incluíram mais de dez horas de reuniões no Morumbi entre representantes das empresas e dirigentes do São Paulo, conduzidas pelo diretor jurídico Leonardo Serafim. Procurado pela reportagem, Serafim afirmou que não irá se pronunciar sobre o caso, ainda não finalizado na esfera judicial.

O UOL Esporte apurou que o São Paulo pagará os R$ 30 milhões em uma entrada de R$ 200 mil e mais 46 parcelas mensais, começando a partir de março de 2020. As 36 primeiras parcelas terão o valor de R$ 685 mil cada, com as dez últimas caindo para R$ 514 mil.

O atual mandato do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, termina em dezembro de 2020. Isso significa que o clube terminará os pagamentos no final do mandato do eventual sucessor de Leco, em dezembro de 2023.

As empresas adquiriram o crédito de investidores que ajudaram na contratação do jogador do rival alvinegro em 2002. A ação judicial contra o São Paulo começou em 2004 -o valor da causa era de R$ 5 milhões, mas foi crescendo com juros enquanto o clube se defendia. Atualmente, a execução poderia chegar a R$ 35 milhões.

As empresas foram vitoriosas em primeira instância, mas o São Paulo conseguiu reverter a decisão. O Superior Tribunal de Justiça, entretanto, voltou a reconhecer a validade de dívida. Sem a possibilidade de novos recursos, o processo passou à etapa de cobrança -já não era mais possível para o clube discutir o mérito.

No último dia 18, a Justiça decidiu rejeitar os documentos oferecidos pelo São Paulo como garantia. Na prática, isso deixou o clube na iminência de ter o valor integral bloqueado diretamente em suas contas bancárias, o que colocaria em risco o pagamento de salários, contas e despesas do dia a dia. Diante do cenário, a direção são-paulina e as empresas começaram as negociações e pediram a suspensão da ação para tentar um acordo.

Uma das contratações mais midiáticas da época, Ricardinho não teve a trajetória esperada no São Paulo, e permaneceu no Morumbi apenas até 2004, quando se transferiu para o Middlesborough, da Inglaterra.