12 de dezembro de 2019

Conselho do Cruzeiro mira impeachment de Wagner após afastamento de 4 meses

Zezé Perrella não gostaria de administrar a agremiação no período por temer um possível rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro


Por Folhapress Publicado 03/10/2019
Divulgação/Cruzeiro

Zezé Perrella, presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro, não quer apenas o afastamento da atual diretoria, que será votado em 21 de outubro. A intenção dele e do grupo de oposição é conseguir também a cassação do mandato de Wagner Pires de Sá.

Inicialmente, o responsável pelo Conselho Deliberativo tentará o afastamento da direção atual por 120 dias. Se a decisão for favorável ao afastamento, um conselho gestor com aproximadamente cinco pessoas deverá ser formado para administrar o clube. Perrella não gostaria de administrar a agremiação no período por temer um possível rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro.

Na sequência, se obtiver uma resposta positiva do conselho para afastar o dirigente, a ideia de Zezé Perrella, que já foi senador de Minas Gerais, é conseguir o impeachment de Wagner Pires de Sá. “Nós vamos pedir o afastamento por 120 dias. Depois desses 120 dias, nós podemos trabalhar a segunda etapa, que é pedir o afastamento definitivo”, disse Zezé Perrella ao UOL.

O edital para a convocação oficial dos conselheiros será divulgado oficialmente nesta quinta-feira (3). O encontro ocorrerá em um hotel de Belo Horizonte. Para afastar o atual presidente do clube, serão necessários 50% dos votos mais um. “Como se trata de um afastamento, e não um impeachment, basta ter ‘metade mais um’ dos votos na reunião extraordinária”, explicou Zezé Perrella.

Para impedimento definitivo, uma Assembleia Geral deveria ser convocada. Nela, dois terços dos votos seriam necessários para tirar a cúpula atual.

A reunião para a votação do afastamento será feita em 21 de outubro de 2019, às 19h (de Brasília), no Dayrell Hotel e Centro de Convenções, no centro de Belo Horizonte.