05 de August de 2020

Antonio Carlos Castanheira é o novo presidente da Portuguesa

Denise Boni de Mattos é sua vice-presidente pela chapa Real e Independente; ele substitui Alexandre Barros, que fica no poder até o dia 31 dezembro


Por Folhapress Publicado 11/12/2019
Reprodução/Twitter

Após eleições realizadas na noite de terça-feira (10) no Salão Nobre do estádio do Canindé, Antonio Carlos Castanheira foi oficializado como o novo presidente da Portuguesa para o triênio de 2020 a 2022. Denise Boni de Mattos é sua vice-presidente pela chapa Real e Independente. Ele substitui Alexandre Barros, que fica no poder até o dia 31 dezembro.

“É um momento importante. Muito legal ver a garotada. Muito bom ver a galera focada em recuperar o brio da Portuguesa. É um momento único. É um momento que podemos iniciar uma nova época para esses 100 anos”, afirmou o novo presidente, em entrevista à Vity TV, momentos antes de ser oficializado.

Ele se refere a 2020, que será importante por ser o ano do centenário da Lusa.

Em entrevista à reportagem, Castanheira afirmou que seu primeiro trabalho no clube será fazer um projeto de profissionalização. “Uma das minhas medidas será separar o futebol do clube com centros de custos individuais e começar um acordo trabalhista geral, para não ter bloqueio de receitas e patrimônio, e reorganizar os departamentos do clube”, disse, antes da eleição.

A apuração começou por volta das 20h e se arrastou até a madrugada desta quarta-feira (12). No final, Castanheira teve 69 votos, seguido pelo atual presidente, Alexandre Barros, com 60. Na sequência, vieram Fernando Tomé, com 41, e Manuel Reis, com 8, além de 3 votos nulos.

Antes da votação, alguns conselheiros que estavam impedidos de votar conseguiram liminares na Justiça e conseguiram participar da eleição. No entanto, eles foram separados na Urna 3, que ficou com o resultado jub judice. Nesta urna, cujo resultado não altera o resultado final da eleição, Castanheira teve 4 votos, Alexandre Barros, 9, Manuel Reis, 1, Fernando Tomé não foi votado, e um voto foi anulado.

O pleito foi tenso e teve a presença de membros da torcida organizada Leões da Fabulosa, que ficaram gritando palavras de ordem contra o atual mandatário e pedindo que os conselheiros não votassem pela sua reeleição.