Você já pensou em ser síndico profissional?


VARIEDADES
Por Jornalismo Educadora
Quinta, 11 de outubro de 2018 às 17:07
Atualmente muitos profissionais de engenharia, administração e contabilidade fazem parte da estatística de 13,2 milhões de brasileiros desempregados no país. Contudo, para essas pessoas há uma oportunidade para sair dessa situação: ser síndico profissional.
A atuação de síndicos profissionais em condomínios está cada vez mais comum por diversos motivos. Alguns exemplos: primeiro, os moradores estão mais desinteressados em ser síndicos, por conta das suas rotinas já corridas. Atrelado a isto, há o fato do condomínio passar a ser uma organização complexa e de difícil administração para alguém que está conciliando a atividade de síndico com a sua profissão e demais responsabilidades. Nesse caso, é preciso buscar uma pessoa externa ao condomínio para realizar a administração. Isso porque, de acordo com o Código Civil, o condomínio é obrigado a ter um síndico, podendo ele ser ou não um condômino:

Art. 1.347. A assembléia escolherá um síndico, que poderá não ser condômino, para administrar o condomínio, por prazo não superior a dois anos, o qual poderá renovar-se.

Ao contratar um síndico profissional, o condomínio garante profissionalismo na sua gestão e tomadas de decisão. Além de ter alguém com maior disponibilidade de tempo para atender às demandas dos condôminos, conhecimento na resolução de problemas técnicos e mais facilidade para aplicação das regras e multas da convenção e regimento interno do condomínio.

O dia a dia de um síndico profissional
O síndico profissional trabalha como um terceirizado do condomínio e pode atuar em mais de um condomínio ao mesmo tempo, revezando-se entre empreendimentos.
O dia a dia do síndico profissional se divide em duas situações: visitas e planejamento. As visitas acontecem com a periodicidade acordada no contrato, que é pensado segundo as necessidades do condomínio. Os momentos de planejamento são realizados no escritório próprio do síndico profissional.
A contratação de um síndico profissional ocorre igual a de um síndico morador: através de reunião e votação da assembleia. Após isso, é assinado o contrato de prestação de serviços que determina as horas e condições de trabalho, remuneração e prazo de encerramento da prestação de serviços.

Salário de síndico profissional
O valor pago por um síndico profissional varia muito. Além da cidade e estado de atuação, ele também leva em conta fatores como: número de unidades do condomínio, quantas visitas ao condomínio serão feitas por semana, número de áreas comuns, tamanho da equipe de funcionários, valor da taxa condominial.
É importante ressaltar que a profissão não tem uma tabela com piso salarial, pois a atividade não é regulamentada.
O pagamento é feito por meio de nota fiscal. E o salário pode ficar entre R$ 1500 a R$ 4000 mensais por condomínio.

Por Estadão Conteúdo