Saques nas contas inativas do FGTS somam R$ 41,8 bilhões

Segundo a Caixa, dinheiro foi sacado por 82% dos 30,2 milhões de trabalhadores com direito ao benefício


ECONOMIA
Por equipe
Segunda, 17 de julho de 2017 às 10:42
A Caixa Econômica Federal informou que já pagou R$ 41,8 bilhões para quase 25 milhões de trabalhadores referentes às contas inativas do FGTS. O dinheiro foi sacado por 82% dos 30 milhões de trabalhadores com direito ao benefício. Tem direito a fazer os saques das contas inativas o trabalhador que pediu demissão ou foi demitido por justa causa até 31 de dezembro de 2015. Mais de 2,5 milhões de brasileiros têm direito ao saque no último lote, que é dos nascidos em dezembro. O valor total disponível ultrapassa R$ 3,5 bilhões e equivale a aproximadamente 8% do total disponível. Para quem nasceu em outro período e ainda não fez o saque o prazo limite é 31 de julho.

Segundo a Caixa, valores nas contas inativas de até R$ 1.500 podem ser sacados no autoatendimento, somente com a senha do Cidadão. Para valores até R$ 3.000, o saque pode ser realizado com o Cartão do Cidadão e senha no autoatendimento, lotéricas e correspondentes Caixa. Acima de R$ 3.000, os saques devem ser feitos nas agências.

Para facilidade no atendimento, os trabalhadores devem sempre ter em mãos o documento de identificação e Carteira de Trabalho, ou outro documento que comprove a rescisão de seu contrato. Para valores acima R$ 10 mil, é obrigatória a apresentação de tais documentos.

Canais de atendimento

A Caixa criou o site exclusivo para as contas inativas (www.caixa.gov.br/contasinativas), na qual o trabalhador pode visualizar o saldo, a data do saque e os canais disponíveis para realização do pagamento. Outra opção de atendimento é o Serviço de Atendimento ao Cliente pelo 0800 726 2017, em que é possível saber se a conta vinculada está apta para recebimento do valor disponível para saque, além de informações sobre os canais de pagamento. Para realizar a consulta do saldo no 0800 ou no site, o trabalhador deve informar seu número de CPF ou PIS/PASEP (NIS) .

Ivan Schutzer

A Voz do Povo (reprise)